A intrigante história da folha de produtividade incluída na surdina nas despesas da Sesap no último dia do governo

Em duas linhas, o secretário de Saúde do Rio Grande do Norte, Cipriano Maia, se reportou à de Administração, Virgínia Ferreira, pedindo algo sucinto.

“Solicito de vossa senhora a suspensão da folha de pagamento de produtividade dos servidores da Sesap/RN referente ao mêz de dezembro/2018, para que possamos apurar possíveis irregularidades constantes na mesma”.

Regulamentado em 2016, o pagamento da Gratificação de Incentivo à Produtividade (GREP) aos servidores da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) chega a representar um acréscimo de um terço nos salários de alguns servidores.

Todos os trabalhadores da saúde estadual têm direito ao benefício, que é custeado com recursos federais, conforme apurou o blog.

As possíveis irregularidades mencionadas na mensagem de Cipriano podem puxar o fio de novelo. O assunto está sendo tratado com cautela. 

As autoridades procuradas pelo blog na administração estadual, em primeiro contato, negaram a existência da mensagem. Só depois que ela foi exibida, Cipriano Maia explicou o seguinte:

“No último dia 31 de dezembro, sem nenhuma discussão com a equipe de transição, foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) um decreto que pactua a gestão entre a Sesap e o Hospital Coronel Pedro Germano (Hospital da Polícia Militar), este pertencente à Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social. Em decorrência deste fato, foi acrescida à folha de produtividade da Sesap, retroagindo a 1º de dezembro, um grupo de cerca de 130 servidores”.

A nota esclarece ainda que foi pedida a suspensão total da folha de produtividade porque ela foi enviada antecipadamente para a secretaria de Administração, antes do tal decreto do dia 31 de dezembro.

A Sesap também comunica que “espera realizar o pagamento da produtividade aos seus servidores com a maior brevidade possível”.

About author

dinarteassuncao

Comente: