O que um dos maiores economistas do Brasil aconselha a Fátima Bezerra para evitar a prisão ou suicídio político

 

Era início de governo de Rosalba – salários em dia – quando o badalado economista do Instituto Millenium, Raul Velloso, aterrissou no Rio Grande do Norte para uma audiência pública na Assembleia Legislativa.

O assunto eram as contas públicas do Rio Grande do Norte.

Velloso mostrou um gráfico com a evolução dos cenários fiscais e vaticinou: “Em pouco tempo, o estado do Rio Grande do Norte não terá caixa para cobrir despesas obrigatórias”.

O futuro se concretizou e aqui estamos todos.

Velloso conversou com a governadora Fátima Bezerra.

Pelo menos é o que ela conta em sua coluna no jornal O Estado de S.Paulo.

No texto, Raul nos escancara que a situação da previdência estadual vai piorar ainda mais pelos próximos 25 ou 30 anos, caso não haja “uma união de todos em torno da reforma-mãe e do equacionamento financeiro de curto prazo”.

Palatável e alarmante é um dos conselhos que lá seguem no texto.

“Como a recessão pode demorar um pouco a desaparecer, o risco de prisão (ou pelo menos do suicídio político) dos governadores do momento, por não conseguirem zerar os déficits totais acumulados dentro de cada mandato, continua bem presente”.

About author

dinarteassuncao

Comente: