O mistério de Fátima que tensiona o MP

 

Com o perdão do trocadilho, mas peguei emprestado este evento da fé cristã que passou ao mundo sob o nome de o segredo ou o mistério de Fátima.

Para quem não conhece, foi o evento em que três crianças anunciaram ter recebido revelações de Nossa Senhora, em Portugal, no começo dos ano 1900.

As semelhanças se esgotam apenas coincidência dos nomes e do fato de haver um mistério.

De resto, em Portugal o que se deu foi divino.

Aqui é político. Humano, portanto.

Dito isto, a procuradora Iadya Gama se aproxima do posto de procuradora-geral de Justiça.

A governadora Fátima Bezerra é a portadora do segredo e da decisão que resolverá a tensão que se instalou no Ministério Público.

Fato é que auxiliares diretos de seu núcleo-duro estimulam Fátima para que escolha Iadya Gama e não reconduza Eudo Rodrigues Leite.

Pelo que o blog apurou, nem se trata de algo contra Eudo, mas a favor de Iadya. Os agentes que orbitam em torno de Fátima defender o emblema que será uma mulher na PGJ.

Em segundo lugar, pesa a afinidade de ideias. Iadya fez uma campanha defendendo que o MP se aproxime da sociedade e se sintonize com o cotidiano das pessoas.

Há quem chame Fátima de antidemocrática se assim ela proceder.

No que discordo inteiramente. A nomeação é restrita à lista tríplice (dúplice, em nosso caso) e não ao mais votado.

Nesta semana, a governadora recebeu visita de Eudo e Iadya. A sutileza do que é a política reforça os argumentos em favor da procuradora.

No Instagram, Fátima registrou as duas visitas, mas só na de Iadya empregou avaliação em primeira pessoa. “Reforço minha admiração por Dra. Iadya”.

Na foto de Eudo, o registro foi feito em terceira pessoa “A governadora recebeu o PGJ Eudo Rodrigues”.

Nas duas conversas, Fátima quis saber dos postulantes o que eles pensam sobre o papel do Ministério Público e quais seus projetos para a instituição.

Felizmente, a contrário do mistério divino de Fátima, que aconteceu nos idos de 1900 mas só tivemos conhecimento do inteiro teor no ano 2000, o segredo que a governadora Fátima Bezerra faz sobre quem será o próximo PGJ tem data definida para acabar.

Isso porque a lei diz que a definição não pode passar do dia 26.

About author

dinarteassuncao

Comente: