Desembargadores do TRT se constrangem com briga por cadeira no Quinto Constitucional e costuram proteção

Vai mal para o Tribunal Regional do Trabalho a disputa pela cadeira de desembargador aberta pelo advogado Eduardo Rocha.

Ele foi ao CNJ protestar contra o voto de Bento Herculano, presidente do TRT, em Marisa Almeida.

Alega que deveria ter havido suspeição porque ambos foram casados.

Bento Herculano protestou e alegou ao CNJ que o advogado tenta fazer passar por irregular o que irregular não é.

De fato. O instituto da arguição de suspeição não cabe de ser aplicado no caso em tela porque eleição de desembargador se trata de procedimento administrativo, e não processo judicial.

Daí que Bento Herculano tenha invocado em sua defesa um fato baseado no argumento de Eduardo Rocha: um dos desembargadores que votou em Eduardo Rocha teve a esposa e três filhos pelo escritório de Rocha.

A prevalecer o argumento lançado pelo advogado, esse voto, em seu favor, também deveria ser suspeito.

Mas não é.

Enquanto esses meandros vão tomando ainda mais contornos, o clima entre os desembargadores é de constrangimento e desconforto.

Eles não estão gostando de ver a imagem do TRT em conflito lançado no terreno de argumentos pessoais.

Os de memória mais longeva analisam que o curso dessas narrativas não tem senhores, pois a qualquer momento o milagre da alquimia pode converter em vidraça quem hoje é pedra.

Nessa sexta-feira, um novo petardo de Eduardo Rocha elevou o desconforto.

Desta feita, ele protesta que o presidente do TRT se defendeu no CNJ antes de ser oficiado. Para Rocha, a pressa seria manifestação de interesse.

O CNJ decidirá se acolhe o pedido de Eduardo Rocha ou se o rejeita.

Enquanto isso, os contornos que o caso toma costuram intenções.

Uma delas é a de que uma nova eleição poderia resolver o caso.

Nesse projeto, não caberia o milagre da alquimia. Quem é pedra não seria eleito para a lista tríplice com vistas ao posto de desembargador.

Continuaria com status de mineral.

About author

dinarteassuncao

Comments(7)

  1. REPLY

    Gustavo says

    Bentinho, não se desespere! Antes de Rocha abrir a boca, metade do RN já sabia quem era você, agora a outra metade também sabe dos seus truques.

  2. REPLY

    Roberto Costa says

    Dinarte, o Presidente do TRT articulou, planejou e orquestrou tudo para tirar Eduardo Rocha da disputa de forma fria e calculista, numa eleição ganhar ou perder faz parte, mas não dá da forma que o Presidente quer para atender seus interesses, simplesmente deu o voto de minerva para o desempate a sua ex- esposa e SÓCIA, ferindo os princiopri da moralidade e impessoalidade, portanto, não como se acolher qualquer justificativa para o que o Presidente fez, alega, ainda, em sua defesa sem o menor respaldo juridico outro desembargador, faz ilações sem provas p desviar as atenções do que ele mesmo causou e criou. É o desespero!!!!!!!

  3. REPLY

    Kátia Prudente says

    Bento Herculano que vergonha! Votar em ex mulher. Assim
    É fácil pagar pensão às custas da União

  4. REPLY

    Robson Medeiros says

    O Presidente do TRT faz ilações sem provas, deveria ter juntado em sua defesa o que ele alega sem o menor fundamento e respaldo jurídico. #Éodesespero

Comente: