‘É o pior momento da minha vida, desde a morte de meu pai’, desabafa dono da Nacre após linchamento virtual

 

George Nacre, 45, começou a quarta-feira (4) cedo no negócio que leva seu sobrenome, a Casa Nacre, padaria que abriu as portas há quase um ano na Avenida Hermes da Fonseca.

Ao perceber que funcionários da STTU instalavam uma faixa de pedestre na altura de seu negócio chegou a comentar com funcionários que o equipamento finalmente daria mais segurança aos estudantes que ele frequentemente via se arriscar atravessando a via com tráfego movimentado. George virou-se para seu negócio e tocou o dia.

No fim da tarde, no entanto, se viu enredado numa história de horror. A instalação da faixa desagradou condutores de veículos, que, no tribunal das redes socais, processaram, julgaram e condenaram George. As críticas chegaram a blogs, que, amplificando-as, agravaram o estado de George.

“Fiquei chocado com o julgamento das pessoas”, desabafou. Na conversa por telefone, indaguei como ele estava conseguindo lidar com a situação. George pediu desculpas por começar a chorar, antes de se recompor e dizer: “Foi o pior momento da minha vida, desde a morte de meu pai”.

Linchamento

As bordoadas que ele tem levado lhe tiraram o sono, revelou. “Cara, eu estou sendo chamado de corrupto, que comprei a faixa. Estão dizendo que a faixa veio para beneficiar meu negócio”, comenta assustado.

Sem ligações com poderosos, ele diz que as críticas não fazem sentido. Também adianta que não vai rebater nenhuma crítica e continuará em silêncio para as redes sociais. Ao Blog do Dina, ele agradeceu por ter sido o único veículo que o procurou para dar sua versão dos fatos.

“Não tenho amigos influentes. Ver meu negócio sendo alvo de boicote é muito difícil”. Até o momento, as declarações de convocação de boicote à Casa Nacre não passaram de bravatas.

Com a crise, ele tem dificuldade para dormir e cita o pai novamente ao contar como tem seguido:

“Tenho 45 anos de idade. Trabalho desde o nove. É a maior herança que meu pai me deixou. Sempre fui trabalhador do meu negócio. Eu comecei esse trabalho no ano passado e, desde agosto do ano passado, eu só tive três dias de folga. É assim que tenho lidado com isso”, revelou.

About author

dinarteassuncao

Comments(13)

  1. REPLY

    Marilia says

    Falta agora ouvir a STTU, responsável por toda esta questão. Ele deve exigir uma declaração do órgão sobre o motivo que causou a colocação do sinal e a publicação desta declaração . Só desta forma poderá acabar com esta linchacão virtual.

    • REPLY

      Paulo says

      Pois é. Ele, o empresário, deveria ir a imprensa e exigir da STTU uma explicação, e não convenientemente se calar.

  2. REPLY

    Simone Farret says

    Esta situação é mais que lamentável, é ridícula e descabida. Retrata o PRÉ JUIZO que leva a atitudes impensadas e que expõem até de forma vexatória pessoas íntegras como no caso de George. George é meu cliente e também sou cliente da Casa Nacre. Profissional e empresário que deve servir de inspiração: empreendedor, responsável e honesto. Acompanhamos no cotidiano a dedicação dele e de toda a equipe para alavancar um negócio que só contribui com a cidade e com a população de Natal. É uma pena o uso indevido das mídias sociais.

  3. REPLY

    Carol Lucena says

    Concordo TOTALMENTE com Simone Farret, as pessoas têm o prazer de derrubar as outras, vamos praticar a velha frase clichê… mais AMOR por favor!

  4. REPLY

    Tiroleiro says

    Desculpe, mas bem pouco convicente! Até pq sempre existiram outros comércios e escolas ali do outro lado (inclusive a própria Nacre) e nunca cogitaram uma faixa com botoeira, q só foi surgir convenientemente do nada após o estacionamento ter sido instalado do outro lado.

    Temos conhecidos no setor da STTU responsável por essas “autorizações” e o q nos foi passado foi q essa faixa “caiu de pára-quedas” no setor, já pra executar, sem nenhum estudo prévio, mas tb sem revelar de onde partiu o QI.

    De qq modo tb achei exagerado o linchamento virtual, onde a Prefeitura é q deveria ser cobrada por essa aberração, afinal a autorização partiu de lá.

  5. REPLY

    Félix Júnior says

    “Natal é uma cidade de muros baixos”. Cada um(não são todos, claro) que queira se intrometer na vida do outro.

  6. REPLY

    Maria de Fátima Cardoso says

    Sinceramente, não acho que a STTU iria colocar um semáforo e uma faixa de pedestre ali, do nada! Tantas outras demandas que este órgão não da conta e foi dá justamente alí! Perceberam quantos semáforos há desde a AABB até o Aero Clube? Apenas quatro! Esta história não está bem contada!

  7. REPLY

    Rosana says

    Tenha fé em Deus e isso vai te servir de experiência e sucesso de vendas.

  8. REPLY

    Fernando says

    Como minha mãe dizia. Terra de muro baixo. E hoje eu digo: Isso é o maxismo cultural que implantaram nas mentes dos brasileiros contra o capitalismo.Terra de funcionalismo publico, contra a iniciativa privada. Esse rapaz é mais uma vitima disso. Do mesmo jeito que o grupo Guararapes foi.

  9. REPLY

    hudsonpf says

    Máteria muito tendenciosa ao empresário

  10. REPLY

    Moema ALBUQUERQUE says

    Que triste ver como as pessoas só enxergam o lado negativo. Mais um semáforo só vem para proteção nesse trânsito caótico q hoje vivemos e q não respeitam os pedestres. As dificuldades de pessoas especiais , idosos, cadeirantes, ( meu caso ) é impraticável atravessar a Av. Hermes da Fonseca. Sr George, não sofra pelo q não fez, e além do mais a medida do DETRAN não foi errada . Conheci sua Padaria, ela é linda e agradável…vc proporcionou a Natal um lugar mais um lugar encantador…

  11. REPLY

    Paulo says

    Coitadinho. Porque ele não foi a imprensa esclarescer e exigir uma retratação por parte da STTU. Ele pensou nos pobres estudantes que arriscavam a vida a 50 m de um semáforo com faixa de pedestre que já existia anteriormente. É quase um “Madre Teresa”. SE CALOU PORQUE LHE BENEFICIAVA.

Comente: