Policial morre três vezes na Grande Natal e escancara como a PM do RN sangra em praça pública

O sargento da Polícia Militar Adailton Cristiano Silva foi assassinado três vezes na noite dessa sexta-feira.

Sua primeira morte foi quando ele pediu para não morrer, em nome de seus cinco filhos, doravante órfãos.

Sua segunda morte sobreveio quando os três bandidos que lhe interceptaram o obrigaram a se ajoelhar.

A terceira morte veio quando, finalmente, a bala transfixou seu crânio e ele pendeu sem vida no chão de barro da estrada da comunidade de Córrego, em Vera Cruz, região Metropolitana de Natal.

Quando um policial precisa pedir para viver e é obrigado a se ajoelhar, todos nós caímos com ele.

Quando um homem a quem foi legalmente instituído o dever de ter o poder de repressão do Estado tomba ajoelhado, a sociedade também tomba ajoelhada.

É vergonhoso para o Estado do Rio Grande do Norte que sua polícia esteja sendo assassinada e as reações mais evidentes sejam notas de condolência.

Notas de condolência nunca bastaram. Agora, chegam a ser desrespeitosas.

Lamentar não é suficiente.

Os R$ 80 milhões de um convênio para equipamentos não são suficientes.

Um plano de segurança pública não é suficiente.

O suficiente é o Estado do Rio Grande do Norte parar de tratar sua polícia como um problema, ao invés de encará-la como uma solução.

Pois chegamos a uma situação em que o último estágio do combate à violência – a repressão – é o que precisa ser feito. E para tanto é preciso que haja tropa.

Em janeiro de 2020, o governo vai convocar mil policiais do concurso público.

Mas quando dezembro de 2019 chegar, mil policiais terão saído para a reserva.

Os números fecham com exatidão. O problema continuará o mesmo.

Quantos Cristianos precisarão cair ajoelhados ainda?

Até quando o Estado vai ser fiador, em sua profunda omissão, dessa sangria?

About author

dinarteassuncao

Comments(20)

  1. REPLY

    Fabio Romero Romero Gonsalves da Silva says

    Estamos em uma guerra contra o crime organizado.e enquanto tratarmos bandido como coitadinho vamos sair perdendo,na guerra o que tem q ser feito é feito

    • REPLY

      WAGNO SILVA DE LIMA says

      Pesado ! Parabéns a Quem escreveu essa matéria !policiais tambm são homens,país ,filhos , irmãos!triste!

  2. REPLY

    Márcio PM RN says

    Matéria forte,só verdades,a fila está andando muito rápida,minha família já espera angustiada que eu derrepente venha ser o próximo,o governo está puxando o gatilho sem só!

  3. REPLY

    Wilton Nascimento says

    Policial morreu, ressuscitou, morreu novamente, ressuscitou e morreu. Que manchete tosca. Foi o estagiário que escreveu esse texto?

    • REPLY

      Khellyzon says

      Leia a matéria ante de comentar👍

  4. REPLY

    Lu says

    Situação lastimável…muito triste a perda de um trabalhador…a população perde tbem.
    O editor poderia ter colocado o título mais coerente…”policial morre 3 vezes” como pode isso?

  5. REPLY

    FRANCISCO CARLOS says

    O policial não pode atirar no marginal, ele só pode reagir de joelhos com uma bala na cabeça.
    30 anos de esquerda destruiu a nação, a moral, os costumes, a polícia, a educação, a saúde. A esquerda brasileira enfiou a nação no caos.

    • REPLY

      Roger says

      O título da Manchete foi tosco, mas realmente o Cristiano tentou se defender, pediu piedade, e os bandidos não tiveram, até quando a polícia terá piedade dia bandidos? Bandido bom é bandido morto. Se libertem o pt já nao manda em nada, os tempos dos vagabundos se foi, agora é a vez da lei.

  6. REPLY

    PAULO SERGIO RIBEIRO TRINDADE says

    😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭

  7. REPLY

    MARCELO says

    Foda-se, se vinher pra cima vagabundo vai levar chumbo, jamais vou me ajoelhar pra esses vermes, posso até tombar, mas, jamais ficarei de joelhos pra esses vermes, a única pessoa que eu possa me ajoelhar é para Deus.

  8. REPLY

    Adriano says

    Muito, triste mesmo para a policia do rn deus que proteja,cada um de vcs que tao ai nessa guerra contra o crime organizado eu sai da minha cidade natal pq nao aguentava mais ser assaltado e vê esses vagabundos cantando vitórias fica com deus cada um que Deus nos proteja forte abraços a todos do meu rn

  9. REPLY

    Alexandre says

    Quando morre um policial quem perde é a sociedade, triste realidade.

  10. REPLY

    edvan abreu says

    E uma situação dolorosa mais ainda ver que as pessoas que juramos defender com o sacrifício da própria vida ainda vem críticar a matéria

  11. REPLY

    Heráclito Noé says

    Texto bem escrito e manchete genial

  12. REPLY

    Eraldo Cordeiro de Lima says

    Será que o comando da polícia militar não tem sua parcela de culpa? Será que se ele e todos a quem ele sucedeu tivessem assumido o comando da polícia por critério técnico e não político os bandidos estariam no controle? Será que se o ministério público e outros órgãos do estado, que somados estão com centenas de policiais cedidos apenas para atender a seus interesses corporativistas, não evitaria mais mortes e outros crimes se tais policiais estivessem trabalhando em sua atividade fim? Por que os comandantes da Polícia Militar que antecederam o atual e este não tomaram o controle para evitar a cessão de tais policiais? Será que outro motivo do aumento da violência e da impunidade não se deve ao fato de as polícias militares e rodoviária Federal terem abandonado sua atividade de prevenção e fiscalização e terem passado a fazer trabalho investigativo por birra da polícia Civil, fato esse incentivado pelo ministério público a mais de cinco anos?
    Essas e outras indagações devem ser analisadas e respondidas pelos chamados especialistas em segurança pública, pois ao contrário do que muitos acham, a culpa exclusiva pela insegurança não é dos governos dos estados nem do governo federal, passando inclusive pela mudança de comportamento dos policiais que, de uns 20 anos para cá, têm assumido essa função, em regra, visando apenas o salário e a estabilidade sem qualquer vocação e coragem para enfrentar tarefa tão árdua.

  13. REPLY

    Maria das Neves Silva says

    Quando quem escreveu a matéria diz que o policial morreu três vezes, fala em linguagem figurada. Entendemos o título quando lemos a matéria que explica muito bem a inércia do Estado e a insegurança na qual estamos mergulhados. Eu gostaria de saber onde está quem responde pelos “direitos humanos” ? Será que já procurou a família do policial para, pelos menos, dar uma palavra de conforto?… Segurança verdadeira só em Deus, justiça idem.😪

  14. REPLY

    Jose says

    Vocês não elegeram o PT agora aguentem as consequências e nas próximas eleições saibam em quem votar

  15. REPLY

    Aurelio says

    Títulomelhor: PM IMPLOROU, ROGOU, E HUMILHADAMENTE FOI EXECUTADO.

Comente: