Procurador do MPF rebate investigação de universidade que levantou dúvidas sobre navio Bouboulina

12.11.2019

Em passagem pela Assembleia Legislativa nesta terça-feira em audiência pública sobre o derramamento de óleo que atingiu o Nordeste, o procurador Victor Mariz comentou a dada altura:

“Várias notícias com diferentes explicações repercutem muito na mídia. Hipóteses como vazamento nas minas do pré-sal, e de pesquisadores da UFAL, que teriam identificado a mancha a 40 km da praia de São Miguel do Gostoso, já foram consideradas e descartadas durante a investigação”.

O procurador explicou que a passagem de navios altera a rugosidade da água e gera falso-positivos para manchas de óleo em imagens de satélite. Estudos oceanográficos também descartam a hipótese de a mancha ter ponto zero tão próximo à costa do RN, já que apareceu primeiro em outros estados.

About author

dinarteassuncao

Comente: