A ascensão de BG e a falta de lideranças políticas apontadas em pesquisa em Natal

23 de dezembro de 2019

A pesquisa que o Instituto Seta trouxe à luz nesta segunda-feira tem dados curiosos.

Lá pelas tantas, indaga-se ao natalense quem é o maior líder político da cidade.

A resposta é uma retumbante negativa: 80% não respoderam ou não souberam responder.

Por outras palavras, é esse o percentual de pessoas que não reconhece grandes líderes em Natal.

O desempenho dos dois principais citados é sofrível. Fátima Bezerra é a maior liderança para 6,2%. Já o ex-prefeito Carlos Eduardo Alves aparece como guia para 3,3%.

Daí para os números da pesquisa estimulada para prefeito há um elo, pois não deixa de ser um fenômeno interessante constatar que o apresentador Bruno Giovanni pontua entre pessoas que têm mandato eletivo e sólida trajetória na política. 

Sem nenhuma surpresa, o prefeito Álvaro Dias pontua acima de 22% nos quatro cenários de disputa, que variam com a inclusão ou exclusão dos nomes de Natália Bonavides ou BG, para citar os principais colocados.

Os nomes de Kelps Lima e Hermano Morais, francos pré-candidatos, aparecem em todos os levantamentos, empatados com BG, no patamar dos 5%.

A falta de reconhecimento de líderes pode refletir a rejeição à política que ainda é marca do pleito de 2018.

Nesse sentido, a eleição de 2020, que é municipal e com fatores de escolha adversas da presidencial, se inclina a repetir alguns dos filtros que conduziram Bolsonaro à presidência.

Fica mais fácil para BG canalizar essa expectativa, já que o ‘outsider’, a pessoa sem mandato e vida partidária, é ele entre os nomes que pontuaram.

Bruno, no entanto, diz que não está em seus projetos disputar a prefeitura. Procurado mais uma vez pelo blog, reiterou essa posição.

Comentários 0


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code