fbpx


Hotel Reis Magos: Em manobra política, Fátima fatura com empresários e evita se queimar com a militância

8 de janeiro de 2020

 

A petição atravessada nos autos do processo do Hotel Reis Magos seguida, nesta quarta-feira, pela nota do governo sobre o tema revela a conduta da governadora Fátima Bezerra em não vincular seu nome à questão.

Em ambas as manifestações – petição e nota – é o nome de Getúlio Marques, secretário de Educação que vai no front, pois é sabido que no xadrez os peões vão na frente.

Ou, por outro ponto de vista, em política, a mãe do bônus seria da governadora. Mas como esse é um assunto que envolve ônus para o estado, a filiação será de um secretário.

Ficou para Getúlio, portanto, a paternidade. Mas a decisão foi de Fátima, algo que o próprio Getúlio me disse em entrevista quando indagado sobre qual seria o destino do hotel.

Não interessa à governadora colocar suas digitais diretamente em assunto que lhe causará desgaste à militância política da esquerda, que grita pelo tombamento.

Reflexo disso é que a nota oficial sublinha que o governo ouviu todos os atores e se esforçou por diálogo. Acenou, assim, com afagos à militância.

Ao mesmo tempo, Fátima faz saber ao setor produtivo que foi dela a determinação para a inércia judicial do Estado, permitindo que a Prefeitura de Natal proceda com o processo de demolição.

Fica bem na foto com empresários e não queima com a militância.

Por falar em foto, a selfie é do prefeito Álvaro Dias. Esse sim vai poder inaugurar o discurso de que conseguiu derrubar o último colosso de embargo à modernização da orla de Natal.

Comentários %


Uma resposta para “Hotel Reis Magos: Em manobra política, Fátima fatura com empresários e evita se queimar com a militância”

  1. Paulojr disse:

    E segue o líder. K

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code