fbpx


Movimento conservador de Natal busca se distanciar de Cícero Martins, que pode ter evento com Eduardo Bolsonaro boicotado

28 de janeiro de 2020

O movimento conservador de Natal ligado ao presidente Jair Bolsonaro se mobiliza para rechaçar de seu círculo o vereador Cícero Martins, que é visto com valores diferentes aos pregados pelo presidente da República.

A iniciativa pode atingir os planos do vereador, que marcou para 13 de fevereiro a entrega do título de cidadão natalense a Eduardo Bolsonaro.

Na mesma data, o deputado federal está anunciado como palestrante do 1º Fórum Conservador do RN, do qual, no entanto, os conservadores bolsonaristas querem se afastar sobretudo porque houve veto ao nome do deputado General Girão, o principal representante de bolsonaro no Rio Grande do Norte.

O evento está marcado para o Hotel Holiday Inn, no dia 13 de fevereiro. A inscrição é gratuita. Ainda não se sabe quem está bancando a organização, atribuída na página de inscrição a um perfil chamado Frente Cidadã.

Racha

O primeiro movimento de racha já é público e partiu do Endireita Natal. Após ter seu nome associado à divulgação do fórum, o Endireita postou nota no Instagram desmentindo seu envolvimento.

“Comunico a quem interessar que o Endireita Natal não está participando da organização deste evento. Nossa logomarca foi usada de forma indevida e os motivos pelos quais levaram a criação deste Fórum fere os nossos princípios conservadores”, diz trecho do texto que leva a assinatura do presidente do movimento, Allison Lobato.

Procurado pelo blog, Lobato explicou, sem atribuir nomes, que há pessoas interessadas na visibilidade apenas, trabalhando, ao mesmo tempo, contra a formação do Aliança pelo Brasil, a nova legenda de Bolsonaro.

“São pessoas que são contrárias a formação do partido Aliança pelo Brasil RN e que com este tipo de atitude desagregam o movimento de direita de Natal e causam divisão. Tais pessoas tentam de alguma maneira atrair o nome Bolsonaro para si, para promoção pessoal e assim poderem se elegerem na onda Bolsonaro no pleito de 2020, assim como teve em 2018”, disse Lobato, que prosseguiu:

“E também porque saímos em defesa do deputado federal General Girão, já que foi uma exigência da organizadora do evento não convidá-lo. É incoerente trazer o filho do presidente a Natal e não convidar o braço direito do Presidente Bolsonaro no RN”, afirmou.

O outro grupo que aparece no cartaz de divulgação, o Radar, foi procurado pelo blog, mas não conseguimos contato até a publicação desta matéria.

Comentários 0


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code