Em quatro meses, Gargalheiras aumenta nível de água em 23,87%; reservas do RN estão com 50,81%

No último dia 15 de janeiro, o Instituto de Gestão de Águas do Rio Grande do Norte (Igarn) divulgou o relatório da situação volumétrica dos principais reservatórios potiguar. À época, o Açude Gargalheiras, em Acari, era apontado como seco. Cinco dias depois, um novo boletim mostrou que o acumulado do manancial, após as chuvas, era de 7,37%, saindo da condição de seco para em alerta.

Agora, quatro meses depois, depois de um longo período de chuvas, o reservatório Marechal Dutra, nome oficial da barragem, acumula 31,24% da capacidade total, de acordo com o balanço divulgado nessa segunda-feira (18), pelo Igarn. O acréscimo de volume em cerca de 120 dias é de 23,87%.

Se comparado com o mesmo período de 2019, antes da recarga, o aumento foi de 30,63%, já que no ano passado, o açude de Gargalheiras tinha apenas 0,61% na segunda quinzena de maio, ainda segundo os números relatados pelo instituto potiguar.

Ao todo, as barragens do Rio Grande do Norte acumulam 50,81% da capacidade total. No mesmo período de 2019, o acumulado total era de 33,22%. Em janeiro de 2020, o estado reservava 22,15%. Ou seja, o aumento em quatro meses é mais que o dobro.

Situação atual dos reservatórios

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do RN, está com 57,22% da sua capacidade, segundo os números divulgados pelo Igarn, nessa segunda (18). Já a barragem Santa Cruz do Apodi acumula 36,04% do total.

Outros reservatórios já sangraram e continuam com 100% da capacidade de armazenamento: Riacho da Cruz II, localizado em Riacho da Cruz; Apanha Peixe, em Caraúbas; Encanto, no município de Encanto; Mendubim, em Assu e Beldroega, localizado em Paraú.

Além deles, existem outros que sangraram, mas que perderam alguma carga, são eles: Santana, localizado em Rafael Fernandes, com 99,83%; Passagem, em Rodolfo Fernandes, com 98,6%; Morcego, em Campo Grande, com 98,74%; Santo Antônio de Caraúbas, com 98,5%; Pataxó, em Ipanguaçu, com 99,39% e Dourado, em Currais Novos, com 98,78%.

Ainda de acordo com o Igarn, o RN tem ainda reservatórios com mais de 70% da capacidade: Marcelino Vieira, localizado no município de Marcelino Vieira, com 72,95% e Rodeador, em Umarizal, com 80,6% do seu volume máximo.

Já a barragem de Pau dos Ferros tem 33,68% da capacidade enquanto o Açude Tourão, em Patu, soma 30,72%. Em Lucrécia, o açude de mesmo nome tem 39,46%.

Dos 47 reservatórios monitorados, apenas dois estão com menos de 10% da capacidade e estão em nível de alerta: Passagem das Traíras, que está em reforma e não pode acumular grande volume hídrico, com 1,23% do seu volume máximo e Esguicho, em Ouro Branco, com 1,8% da sua capacidade. Além desses, outros dois estão secos: Inharé, em Santa Cruz; e Trairi, em Tangará.

Situação das lagoas

A Lagoa de Extremoz, responsável pelo abastecimento de parte da zona norte da capital está atualmente com 100% da sua capacidade. A Lagoa do Bonfim, localizada em Nísia Floresta, está com 51,31%. Já a Lagoa do Boqueirão, localizada em Touros, também está com o seu volume máximo.

Foto: Eduardo Araújo

About author

dinarteassuncao

Comente: