RN obtém conceito Bom em ranking de Transparência Internacional da Covid-19

O Rio Grande do Norte foi o oitavo Estado do Brasil que mais cresceu em pontuação pelo Ranking de Transparência no Combate à Covid-19, segundo o último boletim, divulgado nesta segunda-feira (29). O ranking avalia como os portais de 26 governos informam sobre contratações emergenciais de forma fácil e ágil. O resultado é uma pontuação de 0 a 100, com nota mais alta conforma melhor transparência.

O estado potiguar alcançou a marca de 77,2 pontos com os 30 somados neste último boletim. Com isso, atingiu o nível BOM de avaliação. A partir de 79 pontos, o nível sobe para ÓTIMO. “Subimos bastante e fomos o oitavo em crescimento no último mês. A partir da próxima ação já esperamos alcançar o nível de transparência conceituado como Ótimo”, prevê o Controlador-Geral do Estado, Pedro Lopes.

O controlador ponderou ainda que limites tecnológicos impedem o Governo do Estado em acelerar ou aumentar ainda mais essa pontuação. “Mas temos trabalhado conforme nossas condições e teremos um excelente resultado, a exemplo do que conquistamos no ranking organizado pela ONG Open Knowledge Brasil”.

Neste ranking, o Rio Grande do Norte chegou a figurar na segunda colocação entre os Estados do país. Apesar de também se tratar de transparência relacionada aos dados a respeito da Covid-19, os critérios para este boletim diferem um pouco e focam em informações sanitárias e epidemiológicas, enquanto o ranking divulgado nesta última segunda-feira se volta a dados de contratações emergenciais.

Com a nova pontuação, o RN ocupa hoje a 18ª colocação neste ranking de transparência. “Podemos melhorar, sobretudo, no quesito da divulgação nas redes sociais, que criamos recentemente, e referente ao Dicionário de Dados, que já iniciamos pesquisa para atendermos com maior qualidade. Apenas esses dois quesitos já nos elevará aos 83,5 pontos e atingiremos o nível ÓTIMO”, pontuou a gestora da Lei de Acesso à Informação da Control, Lenira Fonseca.

About author

dinarteassuncao

Comente: