fbpx


Polícia mata 12 suspeitos em operação contra a milícia

16 de outubro de 2020

Policiais mataram 12 suspeitos em um confronto contra a milícia em Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio, na noite desta quinta-feira (15).

O grupo estava em um comboio que foi interceptado na Rodovia Rio-Santos por uma força-tarefa criada para garantir a segurança das eleições no RJ.

Entre os mortos está o ex-PM Carlos Eduardo Benevides Gomes, o Cabo Benê, um dos homens mais procurados do estado. Ele é apontado pela polícia como um dos chefes da milícia em Itaguaí.

Foram apreendidos oito fuzis, metralhadoras, granadas, pistolas e munição.

A polícia informou que os ocupantes do comboio dispararam contra os agentes ao serem abordados. Um policial ficou levemente ferido ao ser atingido por um tiro no colete à prova de balas.

De acordo com o delegado Rodrigo Oliveira, subsecretário de Planejamento e Integração Operacional da Polícia Civil, o comboio de Cabo Benê respondia a Danilo Dias Lima, o Tandera, braço direito de Wellington da Silva Braga, o Ecko, chefe da maior milícia em atividade no RJ.

Segundo as investigações, Tandera chefia uma “franquia” da milícia de Ecko na Baixada Fluminense — região da qual Itaguaí faz parte.

Os carros seguiam no sentido Costa Verde e pegaram uma via auxiliar, paralela à Rio-Santos. Segundo a polícia, esse caminho foi escolhido para fugir de uma blitz da PRF, em frente a um posto da corporação, 500 metros à frente.

Os homens do comboio interceptado vinham sendo monitorados há cerca de 15 dias pelo serviço de inteligência da força-tarefa. A milícia, segundo a polícia, tenta expandir suas atividades em Itaguaí.

A corporação não esclareceu se, além dos 12 mortos, havia outras pessoas no comboio e o que os suspeitos iam fazer.

G1

Comentários 0


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code