fbpx


Executivo da SinoVac cobrou fim de ataques do governo Bolsonaro à China para não atrasar insumos da vacina Coronavac

9 de junho de 2021

Quinze dias após o presidente Jair Bolsonaro fazer novos ataques à China, em maio deste ano, a farmacêutica SinoVac cobrou uma mudança de posicionamento do governo para garantir o envio de insumos ao Instituto Butantan para a produção da vacina CoronaVac.

A informação consta em documento sigiloso do Itamaraty enviado à CPI da Covid e obtido pelo GLOBO.

O ofício reproduz uma carta enviada pela Embaixada do Brasil em Pequim ao Ministério das Relações Exteriores (MRE) com o relato de uma reunião ocorrida em 19 de maio na capital chinesa entre diplomatas e representantes brasileiros com o presidente da SinoVac, Weidong Yan.

Veja a reportagem completa em O GLOBO.

Comentários 0


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code