fbpx


Boate Kiss: Julgamento entra na reta final; veja o que disseram os réus e as testemunhas

10 de dezembro de 2021

O julgamento de quatro réus acusados por 242 mortes no incêndio da Boate Kiss está chegando ao final. É esperado para esta sexta-feira, 10, o início da deliberação entre os jurados, que vão decidir se condenam ou absolvem os acusados pela tragédia após dez dias de depoimentos das testemunhas.

O júri, composto por seis homens e uma mulher, julga a responsabilidade de quatro denunciados no caso: Elissandro Callegaro Spohr e Mauro Londero Hoffmann, sócios-proprietários do local; Marcelo de Jesus dos Santos, integrante da banda Gurizada Fandangueira e responsável por acender os fogos que se espalhou pelo local; e Luciano Augusto Bonilha Leão, produtor do grupo.

Os quatro réus respondem por homicídio simples, consumado 242 vezes (total de vítimas) e tentado outras 636 (número de sobreviventes). O incêndio na Boate Kiss começou durante o show da banda Gurizada Fandangueira, quando Santos disparou um artefato pirotécnico, atingindo parte do teto do prédio, que era coberto por uma espuma e pegou fogo rapidamente.

Além do incêndio que provocou a morte de muitos jovens naquela noite, outra parte das vítimas morreu após inalar a fumaça tóxica liberada com a queima da espuma de proteção acústica no teto.

Segundo a perícia e relatos de sobreviventes, não havia ventilação adequada ou extintores de incêndio apropriados no local.

Ao todo, o caso tem mais de 19 mil páginas e é considerado tanto o maior quanto o mais longo da Justiça do Rio Grande do Sul. O julgamento ocorre em Porto Alegre e os depoimentos foram encerrados nesta quinta-feira, 9. Ao todo, foram ouvidas 12 vítimas, 16 testemunhas e um informante.

Veja os principais pontos levantados durante os depoimentos.

Comentários 0


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code