fbpx


Ômicron se multiplica 70 vezes mais rápido nos tecidos das vias aéreas do que a Delta, diz estudo

16 de dezembro de 2021

Um estudo feito por pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade de de Hong Kong pode ter descoberto o motivo de a variante Ômicron ser mais transmissível porém menos letal que as cepas anteriores do coronavírus.

Os cientistas analisaram a capacidade de multiplicação do vírus em diferentes tecidos do corpo humano.

Em comparação com a variante Delta, a Ômicron se multiplica 70 vezes mais rapidamente nos tecidos que revestem as passagens das vias aéreas, o que pode facilitar a disseminação de pessoa para pessoa, disseram os pesquisadores. Mas nos tecidos pulmonares, a nova variante se replica 10 vezes mais lentamente do que a versão original do coronavírus, o que pode contribuir para doenças menos graves.

“É importante notar que a gravidade da doença em humanos não é determinada apenas pela replicação do vírus, mas também pela resposta imune do hospedeiro à infecção, que pode levar à desregulação do sistema imunológico inato, ou seja, à ‘tempestade de citocinas’, disse Michael Chan Chi-wai, principal autor do estudo, em um comunicado à imprensa.

Os resultados reforçam observações iniciais de médicos da África do Sul, onde a variante foi descoberta. Os dados iniciais indicam que a Ômicron é transmitida em maior velocidade de uma pessoa para outra, mas não danifica os tecidos pulmonares tanto quanto as cepas anteriores.

O estudo está sendo revisado por pares para publicação em revista científica.

“Ao infectar muito mais pessoas, um vírus muito infeccioso pode causar doenças mais graves e morte, embora o próprio vírus possa ser menos patogênico”, disse Chan em comunicado.

Os autores ressaltaram que, como a variante pode escapar parcialmente da imunidade de vacinas e infecções anteriores, “a ameaça geral da Ômicron é provavelmente muito significativa”.

O estudo comparou a Ômicron com a Delta e as cepas originais da Covid-19. Em 24 horas após a infecção, observou-se que a nova variante se multiplicou 70 vezes mais que as outras nos brônquios (que possui uma parte fora dos pulmões), embora sua replicação no tecido pulmonar tenha sido menos eficiente, cerca de dez vezes mais lenta.

As descobertas, a exemplo de outros trabalhos recentes que expõem que a Ômicron infecta células mais facilmente, acrescentam que a variante pode ser intrinsecamente mais transmissível, além de escapar da imunidade existente.

O GLOBO

Comentários 0


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code