fbpx


Perfil médio de candidatos em 2022 é homem, casado e com superior completo

18 de agosto de 2022

As eleições de 2022 terão um número recorde de mulheres concorrendo à Presidência da República, com quatro candidatas entre doze. A marca, ainda assim, não representa a proporção de mulheres no país. De acordo com o IBGE, elas são mais da metade da população. Nas eleições deste ano, a maioria das candidaturas, levando-se em conta todos os cargos em disputa, é de homens: 66%, de acordo os pedidos registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

As distorções entre as parcelas da população e os candidatos que as representam nas urnas não se restringem ao gênero. A questão racial e a escolaridade são exemplos disso.

Com base nos registros do TSE, a CNN mapeou o perfil médio das pessoas nas quais os eleitores brasileiros irão votar daqui em 2 de outubro.

Distorção de gênero

Nas últimas eleições gerais, em 2018, 68% dos candidatos eram homens. E 2022, os homens representam 67% das candidaturas.

As candidaturas femininas tiveram um aumento de 2,2% em relação ao último pleito, chegando a 33% neste ano. A alta indica uma desaceleração em relação a eleições anteriores. Entre 2010 e 2014, houve uma alta de 60,6%. De 2014 a 2018, o crescimento foi de 13,3%.

Grau de instrução
O percentual de candidatos que cursaram o ensino superior era de 48% em 2018. Neste ano, é de 54,97%.

Entre os candidatos, mais da metade completou o ensino superior. Enquanto isso, segundo dados de 2019 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), só um quinto dos brasileiros com 25 anos ou mais atingiram esse grau de escolaridade.

O IBGE explica que o recorte (a partir dos 25 anos) considera a idade necessária para completar o processo de escolarização. As vagas eletivas que se abrem neste ano exigem um mínimo de 21 anos para concorrer.

Veja a matéria completa.

CNN Brasil

Comentários 0


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code