fbpx


O que se sabe sobre o atirador e a tentativa de assassinato de Cristina Kirchner

2 de setembro de 2022

A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, sofreu um atentado em frente à sua casa em Buenos Aires, por volta das 21h de quinta-feira (1º).

De acordo com a Polícia Federal Argentina, um homem brasileiro, identificado como Fernando André Sabag Montiel, de 35 anos, foi detido. Ele é apontado pela polícia como o autor da tentativa de disparo.

Vídeos das pessoas que estavam na aglomeração ao redor da vice-presidente flagraram o momento em que um homem aponta a arma para a cabeça de Cristina e atira. Ela chega a levar as mãos para a cabeça, mas a arma falhou.

Segundo o presidente da Argentina Alberto Fernández, a pistola .380, tinha cinco projéteis e não disparou apesar de ter sido acionada.

Centenas de pessoas se reuniram próximo da casa de Cristina para demonstrar apoio. A vice-presidente está em meio a um julgamento por corrupção.

Suspeito

Fernando André Sabag Montiel é brasileiro. Seu pai é chileno e a mãe argentina, de acordo com a polícia local.

O diretor da Agência Federal de Inteligência, em entrevista à Televisión Pública, afirmou que as forças policiais tentam solucionar o caso o mais rápido possível.

“Estamos colaborando para esclarecer o mais rapidamente isso e ver a totalidade do acontecimento, em que tentaram assassinar a vice-presidenta Cristina Kirchner. É um desastre, estamos tentando dar conta de entender o significado deste ato que tem tanta transcendência, que vai impactar em todo o cenário político argentino”, afirmou.

Pai do homem suspeito do atentado, o chileno Fernando Ernesto Montiel Araya foi alvo de um inquérito para expulsão do Brasil em 2020. O processo aconteceu em virtude da “existência de sentença penal condenatória proferida pela Justiça Pública em seu desfavor”, segundo a Polícia Federal do Brasil.

Repercussão

O presidente argentino declarou feriado nacional em solidariedade à Kirchner. Fernández ainda disse que o ataque “merece o mais enérgico repúdio de toda a sociedade argentina. De todos os setores políticos. De todos os homens e mulheres da república, porque esses fatos afetam nossa democracia”.

O ministro da Economia do país, Sergio Massa, em seu perfil no Twitter chamou o incidente de “tentativa de assassinato”.

“Quando o ódio e a violência prevalecem sobre o debate, as sociedades são destruídas e situações como estas surgem: tentativa de assassinato”, disse o ministro.

Os candidatos à Presidência prestaram solidariedade à vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, vítima de um atentado na quinta-feira (1º).

Nas redes sociais, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Ciro Gomes (PDT), Simone Tebet (MDB), Soraya Thronicke (União Brasil), Sofia Manzano (PCB) e Leonardo Péricles (UP) se solidarizaram com a vice-presidente argentina.

CNN Brasil

Comentários 0


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code