fbpx


Polícia Civil continua “Operação Contos de Horror” e prende dois condenados pelo crime de estupro de vulnerável; um acusado tentava fugir

21 de setembro de 2022

A 20ª Delegacia de Polícia Civil (DP de Macaíba), em continuidade à operação “Contos de Horror”, deu cumprimento, nesta quarta-feira (21), a três mandados de prisão, sendo dois por sentença definitiva contra condenados por crimes de estupro de vulneráveis e um de caráter preventivo, em desfavor de suspeito do crime de descumprimento de medida protetiva.

A primeira prisão se deu no município de Rio do Fogo, litoral norte do Estado, tendo como alvo Washington Nunes da Silva, 25 anos, condenado a uma pena de cinco anos e quatro meses de prisão pela prática do crime de estupro de vulnerável contra uma parente menor de quatorze anos, fato ocorrido no ano de 2012.

Já na cidade de Natal foi preso o idoso Airton Crusado, 71 anos, no momento em que se preparava para fugir em um veículo contratado para esse fim. Ele foi condenado a uma pena de 18 anos de prisão pelo estupro de uma adolescente praticado no ano de 2015, com agravante de tê-la engravidado. Após sua prisão, Airton declarou que foi informado por colegas da veiculação de sua imagem nos telejornais e nas redes sociais e, por isso, foi orientado a fugir.

A terceira prisão se deu por força de mandado de prisão preventiva, após o suspeito José Adailton de Oliveira, 53 anos, investigado em quatro inquéritos policiais por violência contra sua ex-companheira, novamente descumprir as medidas protetivas impostas pela Justiça. Ele já havia sido preso outras duas vezes em flagrante, e, com a decisão, deverá responder o processo preso cautelarmente.

A equipe da 20ª Delegacia de Polícia Civil continua diligenciando com o objetivo de realizar outras prisões no âmbito desta operação.

O nome da operação remete à cultura de pessoas adultas, geralmente da mesma família, narrarem contos e fábulas para as crianças com o objetivo de entretê-las, porém protagonizando, como vilãs, histórias de terror na vida dessas pessoas que deveriam ser protegidas.

Comentários 0


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

code