A cidade do interior do RN que deu um gigantesco salto no PIB per capta graças à indústria do vento

 

Bodó, no Seridó, está no ranking que o IBGE divulgou nesta sexta-feira especificamente na lista de municípios que saltaram largamente nas estatísticas sobre o PIB do Brasil.

De 2016 a 2017, os municípios com maior ganho de participação no PIB do país foram Maricá (RJ), Parauapebas (PA), Ribeirão Preto (SP), Niterói (RJ) e Goiana (PE).

Mas há os municípios que performaram sob outro viés, ou seja, aqueles que mais subiram posição entre um ano e outro.

Curral Novo do Piauí (PI) foi o município com o maior avanço entre 2016 e 2017 – subiu 3 400 posições – desempenho influenciado pela indústria de geração eólica, assim como Bodó (RN) e Simões (PI), segundo e terceiro maiores ganhos de posição.

Em 2016, o PIB per capta de Bodó era de R$ 17,7 mil. No ano seguinte já era R$ 96 mil.

Clara Camarão é excluída de plano estratégico da Petrobras

A Petrobras conclui seu plano estratégico para os próximos quatro anos.

O plano prevê o repasse de 50% da capacidade de refino da Petrobras para empresas privadas, o que inclui as três das refinarias que a estatal possui no Nordeste: Landulpho Alves, na Bahia, Abreu e Lima, em Pernambuco, e a fábrica de lubrificantes Lubnor, no Ceará.

Já a refinaria Clara Camarão, no Rio Grande do Norte, foi rebaixada em 2017 para a categoria “ativo industrial” e foi excluída do plano estratégico da Diretoria de Refino e Gás Natural.

O declínio do petróleo no RN: Petrobras deixou de investir R$ 12 bilhões na exploração em terra

O Rio Grande do Norte já chegou a produzir 60 mil barris de petróleo por dia.

Hoje, está na casa de 38 mil barris, segundo a Redepetro RN, entidade com sede em Mossoró que reúne empresas da cadeia produtiva do petróleo no Estado.

Dados levantados pela Associação Brasileira dos Produtores Independentes de Petróleo e Gás mostram que o fato de a exploração em terra firme ter ficado em segundo plano tirou R$ 11,8 bilhões em investimentos em duas décadas nas bacias do Recôncavo, Sergipe/Alagoas, Potiguar e Espírito Santo.

Toca da Coruja, na Pipa, alcança feito inédito ao entrar em prestigiado ranking mundial de hotéis

O hotel Toca da Coruja alcançou um feito inédito no prestigiado ranking Condé Nast Johansens, que todos os anos premia os melhores hotéis do mundo.

Na lista de melhores empreendimentos para se hospedar em viagens dem 2020, o hotel Toca da Coruja ganhou em duas categorias, o único entre os vencedores a conseguir o feito.

O empreendimento na Praia da Pipa abocanhou “Melhor para casais/romance” e “Escolha do Leitor”. O paisagismo do empreendimento é uma das características que mais marcaram os hóspedes que estiveram por lá.

O hotel disputou com empreendimentos na América do Sul e Central.

Confira os vencedores:

Melhor para casamento, festas e ocasiões especiais

Hotel Maitei, em Arraial d’Ajuda, na Bahia

Melhor hotel com spa

Nannai Resort & Spa, em Porto de Galinhas, Pernambuco

Melhor hotel para casais/romance

Toca da Coruja, Praia da Pipa, no Rio Grande do Norte

Melhor serviço hoteleiro

Lake Villas Charm Hotel & Spa, Amparo, São Paulo

Melhor acomodação

Estrela D’água, Trancoso, na Bahia

Melhor para famílias

Vila Kalango, Jericoacoara, Ceará

Melhor preço para hospedagem de luxo

Hotel boutique Quinta das Videiras, Florianópolis, Santa Catarina

Melhor hotel no campo/Lodge

Os três vencedores são brasileiros nessa categoria. Eles são: Saint Andrews, em Gramado (RS); Capim do Mato Pousada & Spa (Serra do Cipó, MG) e Comuna do Ibitipoca (Conceição do Ibitipoca, MG).

Baleia-jubarte é a estrela de passeio de barco

Melhor hotel urbano

Santa Teresa MGallery, no Rio

Hotel mais sustentável

Casa dos Arandis, Península do Maraú, na Bahia

Escolha do leitor

Toca da Coruja, na Praia da Pipa, no RN

Codern será privatizada, prevê pacote do governo Bolsonaro

A Companhia de Docas do Rio Grande do Norte (Docas) entrou na lista do projeto encampado pelo secretário especial de Desestatização, Salim Mattar.

Ele planeja apresentar ao Congresso Nacional plano onde estão elegíveis para privatização estatais do Brasil.

A Codern, ao lado de outras sete companhias de docas, está na lista.

O projeto, em verdade, prevê a privatização de praticamente todas as estatais.

Mas a prioridade é repassar inicialmente para a iniciativa privada as estatais que dão prejuízo. Nesse sentido, a Codern se adianta no roll.

Reportagem do jornal Tribuna do Norte de abril deste ano esmiuçou que a companhia potiguar dá prejuízo mensal à União de R$ 500 mil.

Grife de surf vai construir condomínio no RN com filosofia ‘a vida com jeito de férias’

Marco Aurélio Raymundo (foto), gaúcho fundador da Mormaii, vai atacar no setor imobiliário.

Ele fechou com a construtora Real Urbanismo para licenciar o Île Mormaii – projeto de condomínios residenciais que promete transformar o jeito de viver e morar.

O empreendimento vai seguir a filosofia de vida de Morongo, que busca desfrutar da liberdade e da natureza.

Com o lema “A vida com jeito de férias”, os condomínios
devem ser construídos nos Estados do Rio Grande do Norte, Bahia, Ceará, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul.

Caern vale R$ 1,6 bilhão de reais em pacote de privatização de Paulo Guedes

A Caern foi estimada em R$ 1,6 bilhão em pacote proposto pelo ministério da Economia para privatizar empresas de esgotamento sanitário, informa a Folha.

O ministério da Paulo Guedes estima que privatizações do setor renderiam R$ 144 bilhões e permitiram o aporte de recursos para cumprir metas de acesso à universalização do serviço.

Se a venda ocorresse, por exemplo, em outros termos, também há estimativas.

A companhia estadual do RN valeria R$ 350 milhões se fossem comprados apenas 49% de sua integralidade.

Nem Bolsonaro, nem governadores do Nordeste nem ninguém está realmente interessado em resolver as manchas de óleo

Você não está sendo um pouco pesado em generalizar, Dinarte?

Não, não estou.

O interesse é a Venezuela. O foco da discussão é a ideologia da origem ou quem mandou contaminar.

Se é que alguém mandou.

Enquanto isso, em grupo de WhatsApp promotores do Brasil discutem jurisprudência para amparar as pessoas que queiram cancelar pacotes de viagem para o Nordeste sem que lhes haja prejuízo.

No governo Bolsonaro, a inércia de ações é inversamente proporcional às medidas efetivamente tomadas.

As manchas seguem chegando ao litoral.

No Rio Grande do Norte, o governo acaba de divulgar que elas não afetam o turismo. O blog já tinha dado o tema.

É a curiosa divulgação segundo a qual na falta do que dizer sobre o que se faz, melhor conta os resultados positivos da própria inércia.

Ah, sim…

O turismo é a principal atividade econômica da região.

A estratégia de quem vive do turismo no RN para fugir do impacto das manchas de óleo

Receptivos estão gravando vídeos e mandando para operadoras de turismo para dar ciência de que os pontos turísticos do RN não estão sendo afetados pelas manchas de óleo que assolam o litoral.

Ao blog, eles enviaram vídeos de beleza não violada em São Miguel do Gostoso e Baía Formosa.

O Rio Grande do Norte tem 43 pontos atingidos pelo vazamento, sendo o estado mais afetado.

O prejuízo da Inframérica, gestora do aeroporto de Natal

A Inframérica, que administra os aeroportos de São Gonçalo do Amarante (RN) e Brasília (DF), tem mantido contato com interlocutores do setor público para argumentar que os terminais têm sofrido com a demora na retomada do crescimento no país, informa a Folha.

A empresa afirma que as conversas envolvem também a perda de receitas em relação ao previsto na época das licitações.

Apesar disso, a Inframérica diz que não foi formulado “nenhum pedido formal” de renegociação ao governo.

Indústria potiguar anuncia que precisa empregar 86 mil pessoas até 2023 e pede profissionalização

O estado do Rio Grande do Norte terá de qualificar 85.901 trabalhadores em ocupações industriais nos níveis superior, técnico, qualificação e aperfeiçoamento entre 2019 e 2023.

Quem tiver interesse em se profissionalizar em determinada área pode acessar o link no fim desse texto, com todas as informações sobre o assunto.

Os dados deste post são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e divulgado nesta semana.

A construção civil demandará 12,3 mil pessoas. Depois dela, o setor de logística e transporte precisará de 7 mil profissionais.

Só de profissionais com habilidades transversais, o estado precisará qualificar 3.203.

Esses profissionais são aqueles que trabalham em qualquer segmento, como técnicos em eletrotécnica e técnicos de controle da produção. Em seguida, as principais demandas virão das áreas de energia e telecomunicações (2.107); metalmecânica (1.833); construção (1.507); e informática (1.493).

Para quem tiver interesse, é só acessar o site rn.senai.br ou comparecer a uma das unidades do SENAI. Mais informações podem consultadas pelo telefone (84) 3204-0300.

Latam acanalha lua de mel de casal potiguar e é condenada a pagar quase R$ 39 mil

Depois do ‘felizes para sempre’, um casal enfrentou severa adversidade em sua lua de mel.

Casaram em setembro de 2015 e iriam para o Taiti.

Graças a Latam, que decidiu antecipar o voo sem dizer nada, eles perderam as conexões seguintes e chegaram ao destino três dias depois do planejado.

Ah, quando chegaram se depararam com extravio da bagagem.

Imaginem o transtorno…

Houve a condenação no TJRN em danos morais no valor de R$ 8.705,45, e danos materiais de R$ 30 mil na primeira instância.

A Latam informou que se manifestará nos autos do processo.

Codern é multada em quase R$ 140 mil por falta de segurança portuária

A Agência Nacional de Transportes Aquaviários acaba de multar a Codern em R$ 137.891,60.

Razão? Por descumprir normas de segurança que exigem licenças ambietais e de segurança, contra incêndios e acidentes.

É uma irresponsabilidade.

Já não bastam as deficiências do setor produtivo para usar o porto para escoar a produção do estado.

A Codern dá mais uma contribuição para o quadro.

O desprezo dos europeus e americanos por Natal

O posto de liderança hoje dos argentinos, que são 60,9% dos turistas internacionais que chegam a Natal, já teve outros donos noutra época.

De 2005 a 2010, a liderança era de italianos, portugueses e espanhóis.

No último ano da bonança, italianos (20,5%), portugueses (11,6%), espanhóis (10,8%) e americanos (8,4%) respondiam por metade da demanda internacional.

A lista tinha ainda Noruega, Holanda, França, Alemanha e Suécia. A Argentina era o único pais emergente na lista, com 8,8%, ligeiramente à frente dos americanos.

São tempos que estão demorando a voltar.

Naquela época, Natal, para citar dois fatores, era um celeiro de negócios imobiliários e não frequentava as listas de cidades mais violentas do mundo.

Mudou o panorama.

Os ricos não torram dinheiro.

E prezam muito pela segurança.

A força dos hermanos no turismo internacional de Natal

Em 2018, 60,9% dos turistas estrangeiros que chegaram a Natal foram argentinos.

De longe, os vencedores. Eles são seduzidos, principalmente, pela paradisíaca Pipa.

Depois deles, se seguem italianos e uruguaios (4,8% cada), chilenos e paraguaios (4,4% cada), americanos (2,7%), portugueses (2,5&), alemães (2,1%), espanhóis (2%) e neozelandeses (1,5%).