A vida de quem dirige até 14h por dia e ainda enfrenta tripla batalha desleal no aeroporto de SGA

Alberto Luthianne Nogueira deixou o mercado de eventos para apostar como motorista de aplicativo há dois anos e meio em Natal. Na época, ele recorda que valia a pena. “Hoje nem tanto”, explicou ao Blog do Dina.

Com rotinas de até 14 horas de trabalho por dia – alguns chegam a 16h, os motoristas de aplicativos voltam à pauta da cidade em razão dos conflitos gerados nos últimos dias no aeroporto internacional de Natal.

Um dos principais equipamentos de entrada e saída da capital virou palco de disputa. E desleal.

Do lado de dentro, taxistas e vans trabalham credenciados, enquanto os motoristas têm que ficar do lado de fora e aguardar serem chamados por clientes via aplicativo.

A falta de acesso permite o jeitinho brasileiro. Taxistas e motoristas de vans, diante de clientes que chamaram motorista por aplicativo, oferecem um preço abaixo da corrida.

Seria a lógica da livre iniciativa e de mercado se não fosse o fato de taxistas e motoristas de vans contarem com o apoio do poder público.

Enquanto em outros aeroportos a Uber criou estrutura para abrigar seus motoristas, por exemplo, por aqui a empresa não tem manifestado interesse nesse sentido.

Pesa ainda o fato de Natal enfrentar uma crise nas rotas aéreas por causa dos preços de passagem. Trabalhar no aeroporto para motorista de aplicativo é um risco de prejuízo constante.

Então, os motoristas têm que enfrentar três fatores: taxistas, motoristas de vans e a fila do aplicativo até conseguir um passageiro no aeroporto. E depois que conseguem, torcem para que seja uma viagem que compense a espera.

“Porque a gente pega uma chamada para o aeroporto, certo? Como é longe, o ideal é ficar lá e aguardar que alguém chame. Mas isso só compensa quando tem muitos voos chegando. Com a queda do número de voos e de passageiros, é melhor sair logo de lá”, explica Nogueira.

Ele consegue diariamente fazer entre R$ 150 e R$ 230. Desse valor, deve retirar custos para cobrir o combustível, alimentação e manutenção do carro. Com frequência, motoristas de aplicativos não fazem refeição, substituindo por lanches rápidos.

Companhias arrocham fiscalização no aeroporto de Natal sobre bagagem de mão; quem descumprir regra retorna ao chek-in para pagar taxa

Não está fácil para ninguém que precise usar o aeroporto de Natal.

Após os exorbitantes preços de passagens, agora as companhias aéreas decidiram iniciar um movimento nacional para evitar que o viajante passe com bagagem de mão sem despachá-la.

Lembrando que, quem precisar despachar, deve pagar valor excedente.

Mas o movimento não é nacional, Dinarte?

É. Coordenado pela Abear, a associação das companhias aéreas. Mas, vejam só.

Não está operando em todos os aeroportos essa dinâmica.

Começou por Natal, Brasília, Curitiba e São Paulo (apenas em Viracopos).

Oficialmente, as companhias dizem que é para agilizar o fluxo dos passageiros de embarque.

Na prática, a realidade é outra. Porque as companhias estão verificando se o tamanho e o peso permitido da bagagem são os mesmos.

E se não for?

Aí você será reencaminhado ao check-in da empresa para despachar a bagagem. E terá de pagar a taxa cobrada pela companhia, conforme revela reportagem do jornal O Estado de S.Paulo.

A bagagem de mão deve ter até 55 centímetros de altura, 35 centímetros de largura e 25 centímetros de profundidade – incluindo alça, bolsos e rodinhas –, dimensões que seguem os padrões da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA, na sigla em inglês). Também há um peso máximo estabelecido: dez quilos.

Novo aeroporto de Natal perde 200 mil passageiros em relação ao Augusto Severo

No Grande Ponto

O superintendente do Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves (São Gonçalo do Amarante), Ibernon Gomes, participou de audiência pública realizada na Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (27) para discutir os altos preços das tarifas aéreas cobradas para quem deseja chegar ou sair de Natal pelo solo potiguar.

Ele explicou que o terminal não possui responsabilidade em torno do problema, já que as taxas cobradas pelo terminal RN são as mais baratas do país, mas revelou que o Estado perdeu nos últimos cinco anos, após a inauguração do novo aeroporto, cerca de 200 mil passageiros se comparado com números do antigo Augusto Severo (foto).

“O aeroporto Augusto Severo recebia 2,6 milhões de passageiros por ano, enquanto nós, com uma estrutura muito maior, recebemos 2,4 milhões. Estamos abertos para dialogar e colaborar da melhor forma possível para que o cenário mude”, disse Ibernon Gomes.

Do blog: os números são absolutos e devemos levar em conta que o Augusto Severo funcionou plenamente e não alcançou a recessão econômica. Por outro lado, é de se estranhar que um equipamento como o de São Gonçalo do Amarante, pensado para ser grande, não tenha demonstrado reação a contento sobre a crise financeira.

RN segue fechando postos de trabalho; foram 2,2 mil vagas em fevereiro

Na Tribuna do Norte, Ricardo Araújo destaca que o RN teve saldo negativo de empregos em fevereiro.

Segundo a matéria, com base em dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), foram fechados 2.249 postos com carteira de trabalho.

O número ainda maior do que o déficit registrado no mês anterior, quando foram fechadas 1.359 vagas.

No Nordeste, apenas Bahia, Ceará e Paraíba registraram abertura de vagas.

Bettina de verdade: potiguar Cuidare, que começou com R$ 75 mil, virou rede que fatura hoje R$ 1,1 milhão mensal e é destaque no Uol

O blog de comportamento do Uol, o Universa, destaca a trajetória da Cuidare, franquia exportada de Natal para o Brasil e já presente em 20 estados.

A matéria conta como Izabelly Miranda, hoje aos 30, pegou 75 mil reais quando tava terminando a faculdade de enfermagem e criou o serviço dedicado aos cuidadores de idosos.

Confira a história de nossa Bettina potiguar aqui.

Natal fica de fora em programa da TAP para promover turismo internacional em capitais brasileiras

Nos Melhores Destinos

Os passageiros voando com a TAP Portugal com destino ao Brasil poderão ficar até cinco noites nas cidades de Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e Salvador sem diferença no preço da passagem.

A novidade deve entrar em vigor ainda no primeiro semestre deste ano.

Já conhecido por muitos, o programa stopover deve fomentar o turismo internacional no Brasil, trazendo mais visitantes estrangeiros.

Menos para Natal, claro.

JFRN promove audiência pública sobre a Codern

A Justiça Federal no Rio Grande do Norte promoverá no dia 10 de abril, às 8h30, audiência pública para discutir os processos de execução fiscal envolvendo a Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN). As ações são promovidas pela União, representada pela Advocacia Geral da União.

O Judiciário Federal pauta o debate para buscar a solução e assim preservar a economia e infraestrutura da Companhia Docas, que administra os portos de Natal, Areia Branca e Maceió.

O debate será transmitido por videoconferência para Justiça Federal de Alagoas, que também abriga processos envolvendo a CODERN, já que essa empresa administra o porto alagoano.

A audiência pública, presidida pelo Juiz Federal Marco Bruno Miranda Clementino, titular da 6ª Vara Federal, será realizada em cooperação judiciária com a 5ª Vara do Judiciário Federal de Alagoas, de onde as pessoas também poderão participar do debate.

Após apreensão recorde de mais de 3 toneladas de cocaína, ministro sugere privatizar Porto de Natal

Após a apreensão recorde de 3,2 toneladas de cocaína no porto de Natal, o ministro Tarcísio de Freitas (Infraestrutura), defendeu que o equipamento seja privatizado.

A ideia foi transmitida ao senador Styvenson Valentim durante audiência do parlamentar com Freitas, a quem o potiguar se dirigiu pedindo mais segurança no equipamento de navegação.

Atualmente, o porto é coordenado pela Companhia de Docas do Rio Grande do Norte.

Esta é a lista de bancos privados que manifestaram interesse em emprestar dinheiro ao RN

Com o aval da União para socorrer estados em crise financeira, bancos privados sinalizaram interesses na operação.

Trata-se do novo pacote de recuperação fiscal. A União proibirá que bancos públicos como o BNDES, Caixa e Banco do Brasil, participem da operação.

Mas será fiadora de empréstimos como instituições privadas.

Citibank, JPMorgan, BofA, BNP Paribas e Santander sinalizaram interesse em emprestar aos estados, informa a Folha.

Os governadores deverão entregar um plano de contenção de despesas em quatro anos —mandato do atual governador.

A União então autorizaria o estado a tomar emprestado o equivalente a cerca de 40% desse total.

Samsung quebra a internet ao apresentar inovador telefone dobrável

Nesta quarta-feira (20), a Samsung realizou o seu grande evento anual, o Unpacked 2019, em São Francisco*, Califórnia. Além da nova família de smartphones Galaxy S10, a empresa também apresentou o seu primeiro telefone dobrável.

A apresentação do telefone surpreendeu a todos e colocou o assunto entre os mais comentados do Twitter no mundo.

A tela do dispositivo literalmente se dobra ao meio, ou seja, ele não é um smartphone flexível, e sim dobrável. Graças a um novo tipo de polímero em camadas desenvolvido pela sul-coreana, o smartphone consegue ser dobrado ao meio e, ao mesmo tempo, não quebrar nem apresentar trincas com o uso.

No meio do gadget há uma dobradiça projetada com várias engrenagens para fazer com que ele seja aberto e fechado de modo bem natural, como se fosse um livro.

O Galaxy Fold estará disponível lá fora no segundo trimestre de 2019, ainda sem previsão de chegada ao Brasil. Ele vem nas cores prata, preta, verde e azul e chega custando módicos US$ 1980 lá fora.

Com informações do Canal Tech