#TodosPorBrunninha: Após campanha nas redes, órgãos se mobilizam em atenção à doação de sangue

A ansiedade de Renata Lorena, 30, que ia doar sangue pela primeira vez, era amenizada quando ela pensava no significado do gesto que estava prestes a fazer. Sensibilizada pela campanha feita nas redes sociais e meios de comunicação potiguar, a servidora da Assembleia Legislativa se integrou à campanha #TodosPorBrunninha.

A unidade móvel de coleta de sangue do Hemonorte foi instalada na Praça 7 de setembro, no Centro da Cidade, em frente à Casa Legislativa, para reforçar a importância da doação de sangue e buscando sensibilizar novos doadores para a campanha. A unidade permanece até as 16h.

Podem doar sangue pessoas entre 16 e 69 anos, que pesam acima de 50kg e que tenham dormido no mínimo 6h na noite anterior. Para aqueles entre 16 e 17 anos, é necessária a autorização ou presença dos pais ou responsável.

Para o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), iniciativas como estas atendem ao desejo da sociedade que prontamente tem promovido uma grande mobilização em torno do restabelecimento do bem-estar da pequena Brunninha.

“Já promovemos campanhas educativas para a doação de sangue e órgãos. É preciso que a sociedade tenha sempre em mente o ato de solidariedade com o próximo. Sangue é vida. E doar é um ato de amor”, disse o presidente.

Doadores regulares também compareceram. “Eu doo sangue há 18 anos, mas essa é a primeira vez neste ano. Apesar desse mutirão ser direcionado para uma pessoa, é bom saber que cada doação beneficia até quatro pessoas”, disse o especialista em mídias sociais Glebe Duarte.

O doador deve estar bem alimentado e evitar alimentos gordurosos e bebidas alcoólicas nas 6 e 12 horas que antecedem a doação, respectivamente, nem ter tomado vacinas nos últimos 40 dias – dentre outros critérios. Para validar a doação, o doador precisa apresentar documento oficial com foto.

É necessário observar também a existência de condições que causam o impedimento definitivo para a doação, como ter passado por um quadro de hepatite após os 11 anos de idade; uso de drogas ilícitas injetáveis; malária; e evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue:  Hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas.

#TodosPorBrunninha

A potiguar Brunninha tem 7 anos e aguarda por um coração. A paciente, que tem tipo sanguíneo B negativo, consta como prioridade zero na fila de transplante e será transferida para o Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP), em Recife/PE, onde permanecerá à espera do órgão.

Brunna estava internada no Hospital Rio Grande, sobrevivendo com a ajuda de aparelhos em razão de má formação congênita no órgão. A operação para transferência da menina para o Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira – IMIP, em Recife/PE, iniciou no fim da manhã desta quarta-feira.

Um bairro inteiro está afundando em Maceió e geólogos da UFRN foram decisivos para um pedido de bloqueio de R$ 6,7 bilhões

O Ministério Público e a Defensoria Pública de Alagoas pediram nesta terça-feira (2) o bloqueio de R$ 6,7 bilhões da Braskem e a indisponibilidade de todas as ações da empresa negociadas em Bolsa.

O problema ocorre no bairro do Pinheiro e afeta uma área com mais de 2.000 imóveis, deixando casas, prédios e vias públicas danificadas. Cerca de 200 moradores tiveram de deixar suas casas e a prefeitura decretou situação de emergência na região.

Tudo começou em março, após um tremor de terra que ainda não tem explicação. Fendas se espalharam pelas paredes dos imóveis.

As autoridades dizem ter oito indícios de que os eventos, cujas causas ainda não foram totalmente esclarecidas, têm a ver com a mineração de sal-gema, feita pela Braskem na região.

O Ministério Público e a Defensoria Pública de Alagoas pediram o bloqueio de R$ 6,7 bilhões da Braskem e a indisponibilidade de todas as ações da empresa negociadas em Bolsa.

A Promotoria pediu a abertura de uma conta judicial para que seja possível pagar indenizações, aluguéis sociais, reparações ambientais, entre outras eventuais despesas.

Com informações da Folha.

Acusados de executar Marielle são transferidos para presídio federal de Mossoró

No G1 Rio

O sargento reformado Ronnie Lessa e ex-PM Élcio Vieira de Queiroz, acusados de executar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes, foram transferidos na quinta-feira (28) para um presídio de segurança máxima em Mossoró, no Rio Grande do Norte.

A informação foi confirmada pela Secretaria de Administração Penitenciária do Rio (Seap).

O crime foi em 14 de março do ano passado. Presos preventivamente, Lessa e Anderson são réus e responderão à ação penal por duplo homicídio triplamente qualificado. Ao aceitar a denúncia do Ministério Público, o juiz Gustavo Kalil, do 4º Tribunal do Júri do Rio, autorizou em caráter urgente e provisório o pedido de transferência dos acusados para penitenciária federal de segurança máxima.

A unidade foi definida pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen). O juiz também determinou o arresto de todos os bens móveis e imóveis em nome dos Ronnie e Élcio, até o limite dos valores requeridos a título de indenização pelo Ministério Público estadual.

Ronnie Lessa e Élcio de Queiroz negam qualquer envolvimento nas mortes de Marielle e Anderson.

Trote sobre bomba na UFRN custou R$ 1.400,00 à polícia

Era trote a tal bomba na UFRN.

Uma caixa com embalagens de bala de café.

Mas efetivo policial foi mobilizado. 

E custou R$ 1.400,00. 

Torcemos para os responsáveis serem apanhados e que paguem, duplamente, pela ação criminosa e pelo valor.

Esquadrão antibomba intervém na UFRN após ameaça; PF ainda não concluiu avaliação sobre potencial de risco no Departamento de Artes

A Polícia Federal informou na tarde desta sexta-feira (29) ao Blog do Dina que ainda não conseguiu concluir o potencial da ameaça de bomba que levou a força federal de segurança a intervir no Departamento de Artes da UFRN.

O chamado para a PF foi aberto por volta das 15h.

Ato contínuo, a força federal acionou a Polícia Militar, que mobilizou seu esquadrão antibomba.

Para a UFRN, o esquadrão levou o robô que é utilizado para auxiliar na identificação do material.

Até a publicação deste post, o artefato que mobilizou forças policiais não tinha sido ainda identificado como simulacro (simulação de bomba) ou se se trata efetivamente de algo explosivo.

O prédio do Departamento de Artes foi evacuado.

PF evacua prédio do Departamento de Artes da UFRN após ameaça de bomba

Na Tribuna do Norte

O prédio do Departamento de Artes (Deart) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) foi evacuado na tarde desta sexta-feira, 29, devido a uma ameaça de bomba.

A Polícia Federal foi responsável por retirar todos os estudantes, professores e terceirizados e funcionários da Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura (Funpec), que funciona no setor. A Polícia Militar também está dando suporte na ocorrência.

Mais informações em instantes

‘Study in Europe’ desembarca em Natal para contar tudo que você precisa saber para estudar e morar do outro lado do Atlântico

Em mais uma edição, o Study in Europe Road Show leva a oito cidades brasileiras informações sobre oportunidades de estudo e pesquisa na Europa.

Entre os dias 1 e 12 de abril de 2019, representantes de agências oficiais e de universidades da Alemanha, Espanha, França e Holanda, vão oferecer atendimento ao público e promover feiras e palestras gratuitas em instituições de ensino brasileiras.

Em Natal, será no auditório da Reitoria da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), na quarta-feira (10), das 9h às 13h.

Caso Zaíra: Amigos e familiares de PM se estarrecem com revelações de estupro e homicídio, mas defendem cumprimento da lei

Na manhã de 15 de março, enquanto policiais militares cumpriam um mandado de prisão contra o colega Pedro Inácio Araújo de Maria, em Currais Novos, do outro lado do país, em Porto Alegre, uma potiguar via seu cotidiano também ser abalado.

Radicada na capital do Rio Grande do Sul, a irmã de Pedro se viu envolta no enredo. Com o irmão preso como principal suspeito da morte de Zaíra Cruz, durante o carnaval de Caicó, ela fez suas malas e colocou na bagagem suas aflições.

Partiu para Natal ainda sob o impacto da notícia de contrariava o histórico de alguém cuja vida era descrita até então por um comportamento irrepreensível.

Amigos, familiares e conhecidos descrevem um Pedro diferente daquele apresentado nesta terça-feira (26) por investigadores da Polícia Civil, para quem o policial militar estuprou e matou a estudante.

Os novos elementos apresentados pelos investigadores surpreendem ainda mais o entorno de Pedro. A revelação de que um primeiro estupro já havia acontecido em agosto do ano passado foi tão surpreendente quanto a notícia da prisão.

Sem conseguir associar o Pedro que conheceram ao descrito pelos policiais, amigos e familiares invocam explicações que estão além de seu alcance. Perguntam se Pedro não teria se drogado, se não teria tido um surto, se não teria tido um lapso.

Daí que seja a incredulidade que tenha se abatido sobre a família. Pedro morava com os pais, a quem prestava assistência. O casal de idosos, descreveu alguém próximo, não tem reação senão a incredulidade do roteiro que se aplacou sobre a vida da família.

Reservada, a irmã de Pedro, bem como seus pais, vem sendo mantida em proteção e tendo assistência dos amigos. Ao visitar o irmão, ela ouviu dele que não matou Zaíra. Ao blog, o relato obtido é de que ele aparenta profunda tristeza.

Diante cada vez mais de fatos que apontam para a autoria por parte de Pedro, os familiares não são vacilantes e defendem que se foi mesmo o policial que ele pague pelo crime.

Não sem, antes, deixar de confiar: será que é possível que não tenha sido ele? É um pensamento ao qual amigos e familiares tentam se apegar.

Mas, para a polícia, essa pergunta vem acompanhada por enfático “não”.

Foto: Portal No AR

A explosão da Aids em Natal: na contramão do Brasil, casos da doença disparam 149% na capital do RN

Em 12 anos, a taxa de detecção de casos de aids mais que duplicaram na capital do Rio Grande do Norte.

Era 13,2 para cada grupo de 100 mil habitantes em 2006. Em 2017, o número chegou 31,9, um aumento de 141%.

Nacionalmente, o movimento foi contrário. A taxa do Brasil era de 19,9% em 2006 e de 18,3% em 2017.

Aids é quando o quadro de infecção por HIV se manifesta em forma de doença. Nem toda pessoa que tem HIV, portanto, tem aids, já que o vírus pode ficar latente por até 20 anos antes de se manifestar.

Os números são do Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde. O relatório foi obtido pelo blog em janeiro. Nesta terça-feira (26), ele não estava mais na página do Ministério da Saúde.

O texto aponta apenas as estatística, mas não explana as causas das variações.

Não há dados discriminando a categoria de exposição por cidade, mas há por regiões. Em todas as regiões a predominância é sobre heterossexuais, exceto na região Sudeste.

No Nordeste, os números mais atuais são os seguintes: quanto aos homens, 51,5% das infecções foram em héteros, 8,9% em bi e 36,6% em homo.

Nas mulheres, na região Nordeste, a quase totalidade, 98% eram em héteros.

Ao longo do dia, o blog procurará especialistas e agentes públicos para comentar o assunto.

Caso Marielle: Investigadores avançam sobre chefe de milícia e o transferem para Mossoró, onde esperam delação

O policial militar Ronald Pereira foi transferido de Niterói (RJ) para o presídio federal de Mossoró. Ele está preso desde janeiro, alvo da Operação Intocáveis, que chegou à hierarquia do Escritório do Crime, grupo paramilitar envolvido no assassinato de Marielle Franco. A transferência se deu na quinta (21).

A informação foi divulgada pelo jornal Extra. O Departamento Penitenciário Nacional (Depen) afirmou que não se manifestaria em razão de segurança. O Blog do Dina, no entanto, obteve a decisão que determina a transferência para presídio federal.

A determinação foi dada em 1º de fevereiro pelo juiz Gustavo Gomes Kalil, da 4ª Vara Criminal do Rio de Janeiro.

“Pelos motivos acima expostos, incorporando, DEFIRO, em caráter urgente e liminar, sem prejuízo de posterior reconsideração após cumprido o contraditório, o pedido de transferência dos Acusados Maurício Silva da Costa e Ronald Paulo Alves Pereira para estabelecimento penal federal de segurança máxima, a ser indicado pelo Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN)”, escreveu o juiz.

Os motivos são risco de vida a terceiros, “consoantes informação de inteligência subscrita por dois delegados federais e um servidor do MPRJ”, informa a decisão.

Em abril, Ronald enfrentará júri popular sobre chacina que comandou em 2003 no Rio de Janeiro. Os investigadores movimentam as peças para tentar convencê-lo a falar em troca de benefícios.

É do mesmo Escritório do Crime que fazem parte Ronnie Lessa e Élcio Queiroz, denunciados por serem os executores de Marielle. Os investigadores esperam que eventual colaboração de Ronald venha elucidar vários crimes sem solução até hoje.

Em 2004, o PM foi homenageado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro pelo hoje senador Flávio Bolsonaro.

Quem já abriu o bico em Mossoró, conforme contou com exclusividade o Blog do Dina foi outro miliciano, Orlando da Curicica.