Deputados debate ações contra Covid-19 e votação da reforma estadual da Previdência

No horário destinado aos deputados na sessão ordinária por Sistema de Deliberação Remota (SDR) da Assembleia Legislativa, realizada nesta terça-feira (07), foram tratadas questões como cuidado com idosos na pandemia, responsabilidade do uso de recursos públicos no enfrentamento à pandemia, especialmente na contratação de ambulâncias, reabertura das igrejas e reforma da previdência.

O deputado estadual Vivaldo Costa (PSD) falou da preocupação com a grande mortalidade de pessoas idosas. “Se a gente acessar a mídia, toma conhecimento de muitas conhecidos que perderam a vida”. Ele destacou que, especialmente nas cidades do interior do estado, precisa haver prioridade das prefeituras no cuidado dos idosos para enfrentamento do coronavírus.

“Todos os prefeitos, sem exceção, receberam verba do governo federal para cuidar da covid-19. Então é preciso que seja feito algo em relação aos idosos, seja através do Programa Saúde da Família, do atendimento ao doente no próprio domicílio, entre outras ações”, disse.

Já o deputado Nelter Queiroz (MDB) sugeriu à governadora Fátima Bezerra que convide a direção da maternidade em Patu, Hospital Maternidade Dr. Anderson Dutra (APAMI), para reabrir o hospital.

“A maternidade está toda equipada e com certeza está fazendo falta”, falou. Ele também aproveitou para questionar o aluguel de ambulâncias, que, segundo ele, foi feito a preços exorbitantes pelo governo estadual.

A deputada Cristiane Dantas (SDD) usou o horário para dizer que subscreveu todos os ofícios que o deputado Gustavo Carvalho (PSDB) está enviando aos órgãos de controle e fiscalização sobre os recursos financeiros utilizados pelo Governo do Estado no enfrentamento ao coronavírus.

“Não podemos nos calar e colocar vendas nos nossos olhos. Me preocupo pelos R$ 5 milhões pagos adiantados ao Consórcio Nordeste sem retorno, enquanto pessoas estão morrendo sem essa assistência; pelos R$ 1.750.000 pagos para uma Organização Social de Minas Gerais para abrir 30 leitos, para uma OS que não tem médicos e vai terceirizar o serviço; e, também, o aluguel dessas ambulâncias no valor de R$ 8 milhões quando o dinheiro dava para adquirir 8 ambulâncias para o Estado, um dinheiro que está sendo superfaturado”, disse. Ela também falou da situação das estradas do Rio Grande do Norte que precisam de recuperação asfáltica.

O deputado Coronel Azevedo (PSC) opinou que o Governo do Estado tem sido ineficiente na comunicação com os servidores sobre a suspensão dos empréstimos consignados. Ele pediu que isso seja resolvido. Na oportunidade, ele também aproveitou para reiterar o pedido que já havia feito em outras ocasiões para que o governo reconsidere a reabertura das igrejas, levando em consideração a importância da assistência religiosa.

“É um desrespeito à nossa Constituição Federal, a todas as leis e tratados internacionais, impedir o funcionamento das igrejas”.

Sobre o assunto da contratação do aluguel das ambulâncias pelo Governo do Estado, o parlamentar Francisco do PT explicou que compreende que é prerrogativa do Poder Legislativo a fiscalização dos atos do Poder Executivo, mas que fica reflexivo sobre a forma apressada dos deputados de fazer pré-julgamento a respeito de determinadas situações.

“A informação dada aqui deixa a entender que o Estado alugou apenas as ambulâncias com esse recurso financeiro. Quero destacar que as ambulâncias não rodam sozinhas, elas precisam de combustível, de equipamentos, então a informação que nós dispomos é que essa contratação inclui ambulâncias, equipes de profissionais, materiais de proteção individual e equipamentos para oferecer suporte avançado de vida e garantir transferência de usuários com sintomas graves. Estou trazendo essa informação apenas para deixar aqui mais nítido que não se tratou apenas da contratação de ambulâncias, o que não tira a prerrogativa dos deputados de solicitar investigação pelos órgãos de controle. Aliás, é importante mesmo que faça”, declarou.

Sobre a reforma da previdência, o deputado estadual Sandro Pimentel (PSOL) falou que reconhecia e entendia o esforço que os governos estaduais têm feito para aprovar as respectivas reformas da previdência, mas quis opinar sobre a interpretação dos prazos, já que não concorda com a informação dada pelo governo de que o prazo se encerra no final de julho de 2020. “Se olharmos o art. 9º, §6º, da Emenda Constitucional nº 103/2019, ela é direta, estanque”. Ele entende ser o prazo de dois anos para apreciação da matéria que enseja sanções se houver descumprimento e não o prazo do final de julho de 2020 informado pelo governo.

O deputado George Soares (PL) respondeu sobre a questão do prazo. De acordo com ele, com base nas informações dadas pelo secretário de Tributação do Estado, o prazo de dois anos se refere à previdência complementar, e não às regras gerais do Regime Próprio. Ele voltou a alertar sobre as penalidades caso não se aprove no prazo previsto e pediu para que os parlamentares encontrassem uma forma de votar. Ele argumentou que sete estados da federação estão fazendo esse debate remoto e vão votar a matéria. “Então, por que esse grupo de deputados que questiona a votação não traz sugestões de soluções remotas?”, questionou.

Por fim, o deputado José Dias (PSDB) opinou que a reforma da previdência não é um problema ideológico, mas de matemática financeira. “A reforma federal foi um alívio, os estados não estão em situação melhor. Nós cobramos desde o primeiro dia que a governadora mandasse a reforma para que pudéssemos estudar. Não veio, porque ela não queria o debate. Veio depois e apresentamos algumas emendas. Nós não vamos ter aumento do funcionário público este ano e no próximo, que é um mal necessário, mas o funcionário que ganha um salário mínimo será penalizado com uma alíquota acima do que paga o trabalhador da iniciativa privada”, disse.

Ele declarou que deveria ser igual, equânime. E disse que não abre mão da votação presencial, mas não teria problema de votar a qualquer tempo, desde que fizesse as modificações necessárias.

Prefeitura e Ministério Público reagem à reportagem do Blog do Dina e tomam providências sobre denúncias de mortes por erro no Hospital de Campanha de Natal

Repercute fortemente a reportagem do Blog do Dina que expôs conversas de grupo de WhatsApp em que médicos e enfermeiros da UTI do Hospital de Campanha de Natal discutiram sobre erros de procedimentos e desorganização na unidade que levaram até à morte de pacientes.

No fim da noite da segunda-feira (6), a Prefeitura do Natal postou em sua conta no Twitter que a Secretaria Municipal de Saúde “desconhece supostos fatos divulgados a respeito de divergência na autação de profissionais do Hospital de Campanha”.

Na mensagem, assinala-se ainda que foi determinada à direção do hospital a imediata abertura de sindicância para apurar o caso e que a Secretaria Municipal de Saúde “vai tomar as providências jurídicas cabíveis e necessárias para repor a verdade dos fatos e reparar distorções”.

O material também despertou o Ministério Público do Rio Grande do Norte, que atuará no caso através do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça da Saúde. O órgão vai se debruçar sobre os eventos e atuará para saber as circunstâncias em que os eventos se deram e quem poderá ser responsabilizado.

Diligências iniciais incluírão pedido de informações à Secretaria Municipal de Saúde de Natal para que venha a contribuir com a apuração do caso.

Na Assembleia Legislativa, o deputado Sandro Pimentel (PSOL) repercutiu a matéria dizendo que “O Blog do Dina traz denúncia grave. Denúncia que é tema para responsabilização do gestor. Equipes que não tinha sido treinadas e médico cansado de assinar óbitos por incompetência dos outros”, afirmou, relembrando o histórico de controvérsias do hospital.

Até o meio-dia desta terça-feira (7), a reportagem já tinha somado quase 40 mil visualizações.

Entre o público, também houve reações, como a de um leitor que entrou em contato para narrar que perdeu a mãe no hospital de campanha de Natal recentemente. Profissional da saúde, ele afirmou que já tinha identificado o que considerava negligência no tratamento da mãe, informando que pretende pedir auditoria sobre o prontuário e acionar a justiça.

Novo tratamento brasileiro elimina vírus HIV em paciente

Pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) realizaram um estudo em escala global com pessoas infectadas pelo HIV e conseguiram eliminar o vírus do organismo de um paciente. A pesquisa será apresentada nesta terça-feira, 7, na 23.ª Conferência Internacional de Aids, o maior congresso sobre o tema do mundo.

De acordo com a universidade, os resultados representam mais um avanço nas pesquisas que, um dia, podem levar à descoberta da cura da Aids. Este é o terceiro caso na história em que a eliminação do HIV é descrita.

Coordenada pelo infectologista Ricardo Sobhie Diaz, a pesquisa da Unifesp contou inicialmente com 30 voluntários que apresentavam carga viral do HIV indetectável no organismo e que faziam tratamento padrão com coquetéis antirretrovirais. Eles foram divididos em seis grupos e cada um recebeu diferentes combinações de medicamentos, além do tratamento padrão.

O grupo que apresentou melhor resultado recebeu dois antirretrovirais a mais que os outros: uma droga mais forte chamada dolutegravir e o maraviroc, que “força” o vírus a aparecer, fazendo com que ele saia do estado de latência, uma espécie de esconderijo no organismo. Ainda segundo a Unifesp, outras duas substâncias prescritas potencializaram os efeitos dos medicamentos, a nicotinamida e a auranofina.

A nicotinamida foi capaz de impedir que o vírus se escondesse nas células e a auranofina, um antirreumático, teve potencial para encontrar a célula infectada pelo vírus e levá-lo à morte, segundo relatou a Unifesp, em 2018, na revista Entreteses.

A Conferência Internacional de Aids é organizada pela Sociedade Internacional de Aids (International Aids Society, ou IAS, em inglês) a cada dois anos e tem apoio do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids). O evento, que debate descobertas científicas sobre o HIV no mundo todo, seria realizado neste ano em San Francisco, nos Estados Unidos, mas será feito de maneira virtual por causa da pandemia.

A pandemia do coronavírus tem afetado a distribuição de medicamentos para pacientes do HIV ao redor do mundo. Nesta segunda-feira, 6, a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que 73 países alertaram que correm o risco de ficar sem medicamentos antirretrovirais. Vinte e quatro países relataram que estão com baixo estoque uu sofrem com interrupções no fornecimento desses medicamentos que salvam vidas. Outros casos de eliminação do vírus do organismo

Outros dois casos de pacientes que tiveram o HIV eliminado do organismo são descritos pela ciência.

O pioneiro foi o americano Timothy Ray Brown, hoje com 54 anos, que também tinha leucemia. Para superar a doença, após sessões de quimioterapia sem grandes efeitos, a equipe médica realizou um transplante de medula.

O HIV precisa de uma proteína presente no sangue para se reproduzir e algumas pessoas não a produzem, em razão de uma rara mutação genética que as deixa imunes ao vírus. A estratégia — inédita e certeira — foi encontrar um doador que se encaixasse nesses parâmetros, para destruir o sistema imunológico original e criar um novo mecanismo de defesa para eliminar o vírus.

Após vencer o HIV, em 2007, Brown ficou conhecido como “paciente de Berlim”, já que vivia na cidade alemã. Para combater a leucemia, o americano precisou de um novo transplante de medula, do mesmo doador. Cerca de 12 anos depois, a estratégia da doação de medula voltou a dar certo, dessa vez em um paciente de Londres. Os cientistas descreveram o caso como “remissão em longo prazo”.

Estadão

Foto: REUTERS/Navesh Chitrakar

Inscrições para o Sisu começam nesta terça-feira

A partir desta terça-feira (7), estudantes que participaram da edição de 2019 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) podem se inscrever para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do meio do ano. Até sexta-feira (10) serão oferecidas mais de 51 mil vagas em instituições de ensino superior do país.

Pela primeira vez, além dos cursos de graduação presenciais, o Sisu 2020.2 vai ofertar vagas na modalidade a distância (EaD). Além de ter feito o Enem de 2019, os interessados não podem ter zerado a redação. Estudantes que fizeram o exame na condição de treineiros também não podem participar.

Como se inscrever?

Por meio do site do Ministério da Educação (MEC), na tela “Minha inscrição”, o candidato poderá escolher até duas opções de cursos, por prioridade, na mesma instituição ou em universidades diferentes. Para fazer a primeira escolha, basta clicar em “Fazer inscrição na 1ª opção”. A pesquisa de vagas pode ser feita por nome do município, instituição ou curso. Após selecionar a opção, basta clicar em “Escolher este curso” para continuar.

Nesta fase, o candidato deverá indicar se irá participar do Sisu pelas vagas de ampla concorrência, pela Lei de Cotas (Lei nº 12.711/2012) ou pelas políticas afirmativas das instituições. No caso das universidades e institutos federais, os alunos de escola pública que se candidatarem às vagas reservadas serão divididos em grupo e subgrupo, conforme renda familiar e raça. Clique em “Escolher esta modalidade” para continuar.

Critérios

De acordo com o edital do Sisu, a ordem dos critérios para a classificação de candidatos é a seguinte: maior nota na redação, maior nota na prova de linguagens, códigos e suas tecnologias; maior nota na prova de matemática e suas tecnologias; maior nota na prova de ciências da natureza e suas tecnologias e maior nota na prova de ciências humanas e suas tecnologias.

Lista de Espera

Segundo cronograma divulgado pelo MEC, o resultado da primeira chamada do Sisu será divulgado no dia 14 de julho. O candidato que não foi selecionado em uma das duas opções, em primeira chamada, deverá manifestar seu interesse em participar da lista de espera, por meio da página do Sisu na internet, entre os dias 14 e 21 de julho.

A partir daí, basta acompanhar as convocações feitas pelas instituições para preenchimento das vagas em lista de espera, observando prazos, procedimentos e documentos exigidos para matrícula ou para registro acadêmico, estabelecidos em edital próprio da instituição, inclusive horários e locais de atendimento por ela definidos.

Brasil tem 1,6 milhão de casos e 65,6 mil óbitos por Covid-19

O Brasil chegou à marca de 1.628.283 casos confirmados de coronavírus. O óbitos são 65.631. Os números foram confirmados pelo consórcio de veículos de imprensa.

Em relação ao boletim divulgado pelo consórcio na noite de segunda-feira (6), houve aumento de 2.212 casos da doença e de 75 mortes.

Ainda nessa segunda-feira, o Brasil chegou oficialmente à casa de 65 mil óbitos por Covid-19.

Caso de infecção por ameba ‘comedora de cérebro’ gera alerta nos EUA

O Departamento de Saúde da Flórida afirmou que uma pessoa no condado de Hillsborough contraiu Naegleria fowleri, uma microscópica ameba unicelular que causa infecção no cérebro.

Frequentemente encontrada em água morna, a ameba entra no corpo pelo nariz.

Não foram divulgadas informações sobre o estado de saúde do paciente ou sobre a maneira com que contraiu a ameba — que não passa de uma pessoa para outra.

Esse tipo de infecção (meningoencefalite amebiana primária) é mais comum em Estados do sul dos EUA, mas ainda assim é rara. Na Flórida, há 37 registros desde 1962. Mas dada as suas consequências potencialmente fatais, o órgão de saúde da Flórida emitiu um alerta em 3 de julho para os moradores de Hillsborough.

Autoridades locais recomendaram aos habitantes que evitem o contato do nariz com água encanada e de outras fontes da região.

Isso inclui lagos, rios e canais, por exemplo, onde infecções por Naegleria fowleri são mais comuns por causa da temperatura da água nos meses mais quentes (julho, agosto e setembro).

Aqueles infectados pela ameba apresentam sintomas como febre, náusea, vômito, rigidez na nuca e dores de cabeça. A maioria morre em até uma semana. Estima-se que 97% dos infectados morrem.

O órgão de saúde da Flórida afirmou que qualquer pessoa com esses sintomas deve procurar atendimento médico rapidamente. “Lembre-se de que essa doença é rara e estratégias eficazes de prevenção podem permitir banhar-se de forma segura e relaxante durante o verão.”

Quando se trata da prevenção, o recomendado é que se mantenha a água distante do nariz ao nadar e mergulhar em água doce, seja cobrindo o nariz com a mão, deixando-os fora da água ou usando itens para cobrir os orifícios.

Por que a ameba se alimenta de ‘cérebros’?

Infecções por Naegleria fowleri são raras nos EUA, segundo dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Entre 2008 e 2017, apenas 34 infecções do tipo foram registradas no país. Do total, 30 ocorreram em atividades de lazer em fontes de água fresca (como lagos e rios), 3 durante irrigação nasal e uma se deu durante uma brincadeira no quintal de casa.

“Houve 34 registros de infecções nos Estados Unidos nos 10 anos entre 2008 e 2017, apesar das milhões de exposições à água em atividades recreacionais a cada ano. Como comparação, nos 10 anos entre 2001 e 2010, houve mais de 34 mil mortes por afogamento no país”, diz o site do órgão.

De acordo com o CDC, a Naegleria fowleri é um protozoário que vive em ambientes úmidos, como solos mais encharcados e fontes de água fresca, doce e morna — como rios e lagoas. Em casos de menor incidência, esses microrganismos podem ser encontrados também em piscinas com tratamento de cloro inadequado ou na água de torneira aquecida.

Segundo o CDC, a presença dessa ameba em ambientes aquáticos doces é comum, mas as infecções são raras — não há ainda métodos e métricas satisfatórias para quantificar a incidência da meningoencefalite amebiana primária no material líquido e a ligação disso com a contaminação em humanos.

Quando ocorre, a infecção se dá com a entrada da água contaminada no corpo pelo nariz.

É desta forma que a ameba chega ao cérebro e ataca o tecido cerebral. Daí o nome pelo qual esse organismo é conhecido: “a ameba que come cérebros”. Em geral, ela se alimenta de bactérias encontradas nos sedimentos de regiões alagadas.

BBC Brasil

EXCLUSIVO: Hospital de Campanha de Natal tem mortes causadas por erros de procedimento e desorganização na UTI, expõem médicos e enfermeiros em briga no WhatsApp

Apresentado como um trunfo no combate à pandemia de covid-19, o Hospital de Campanha de Natal coleciona polêmicas desde sua instalação. Nenhuma delas foi capaz de demover o discurso oficial de que a capital do Rio Grande do Norte vinha salvando vidas no equipamento montado em hotel abandonado na Via Costeira.

Mas conversas privadas obtidas com exclusividade pelo Blog do Dina desmontam a narrativa oficial e expõem que a UTI do hospital de campanha de Natal reúne uma série de desorganização que teria resultado até na mortes de pacientes.

Os registros que embasam essa reportagem estão em diálogos de grupo de WhatsApp da equipe que atua na UTI do hospital. O Blog do Dina recebeu as conversas e procurou quatro dos participantes que aparecem nela. Três informaram que não iriam comentar e um conversou reservadamente, confirmando a autenticidade do conteúdo. Os nomes dos profissionais serão preservados.

Por entender que há relevante interesse público nas conversas, que documentam erros procedimentais, o Blog do Dina decidiu publicá-las. Para tanto, procurou, como vem fazendo, a Secretaria Municipal de Saúde para comentar o caso. Igualmente como vem fazendo, a assessoria de imprensa ignorou a demanda e não respondeu.

Conversas

As conversas se dão entre as equipes médicas e de enfermagem. O ponto inicial da discussão foi quando um médico se queixou que o acesso à UTI era fácil e feito por qualquer pessoa, que depois comunicava o estado de saúde de pacientes a familiares.

Essa primeira mensagem já dá a dimensão do problema, quando o médico descreve procedimentos adotados sobre pacientes que configuram erro, acrescentando que os descreve em prontuário, mas poupa as famílias dos detalhes do que aconteceu.

Os textos serão transcritos conforme foram registrados. A primeira mensagem foi a seguinte:

“Posso durante essas ligações [para as famílias] tbem relatar os erros que equipe de enfermagem está fazendo nesta UTI como correr 400ml de dieta em 3h, usar água em cateter central, fazer meropenem em sonda vesical, deixar noradrenalina em dose dobrada com 60ml/h desligada por mais de 20min, checar medicação sem ser administrado no paciente. São exemplos de algumas coisas que eu vi sendo feito nessa UTI que relatei no prontuário médico, porém não relatei para os familiares que estão passando por este momento de aflição de ter um familiar grave internado na UTI”, reclamou o médico.

Uma das mensagens seguintes escancara as consequências:

“[…]temos cometidos muitos erros e isso tem ceifado a vida de muitos pacientes, uns podem apoiar [NOME OMITIDO] outros podem discordar, qual lado vcs estão não importa, o que importa são às vidas, estamos perdendo vidas uma estamos perdendo por causa da gravidade da doença, outra estamos perdendo por causa dos erros do processo de cuidar e isso eu digo de uma equipe como um todo, talvez vos se sintam ofendidos pq a equipe de enfermagem é a espinha dorsal de todo hospital”

As mensagens despertaram reação dos profissionais ligados à enfermagem, o que levou um dos participantes a voltar à carga para defender o médico que postou a primeira mensagem, afirmando que ele só não queria mais assinar óbitos resultantes da ação de terceiros: “Acho que ele já esta cansado de assinar óbitos por incompetência dos outros”

Erros e desorganização

O ponto a que chegou a discussão revela como A falta de controle está afetando o trabalho da equipe e como os sucessivos erros descritos se refletem sobre pacientes.

Ao responder a um dos participantes da discussão, uma das pessoas informa que até terceirizados da empresa JMT, que presta serviços gerais no hospital, acessam informações médicas.

Em outra passagem, é dada ciência no grupo que uma paciente vai perder a mão por causa de um procedimento.

As conversas também apontam que as equipes que atuam na UTI do Hospital de Campanha não passaram por treinamento ou se reuniram sob uma coordenação unificada.

Diante das denúncias que surgiram no grupo de WhatsApp, um dos participantes informa que todas as reclamações devem ser tratadas diretamente com as coordenações, e não em grupo de mensagem e que uma reunião estava prevista para a tarde desta segunda-feira (6) para tratar sobre o tema.

Histórico

O Hospital de Campanha de Natal surgiu já envolvido na polêmica contratação da empresa que iria fornecer mão-de-obra especializada, a T&N, que tinha sócia ligada ao prefeito de Natal e era ainda administrada por outras pessoas ligadas também a empresas que detinham contratos na gestão.

Após episódios como falta de equipamentos, o hospital protagonizou mais uma polêmica ao ser alvo do Ministério Público por publicidade que o MP chamou de mentirosa, já que a Prefeitura anunciou o funcionamento do equipamento, mesmo sem ele estar operando.

Caso de peste bubônica faz China elevar estado de alerta no país

Autoridades na China aumentaram medidas de segurança sanitária depois que uma cidade na Mongólia Interior (região autônoma do país) confirmou um caso de peste bubônica.

De acordo com relatos de autoridades estatais, o paciente, um camponês da cidade de Bayannur, está em quarentena e em condição estável.

Autoridades decretaram nível três de alerta — que proíbe a caça e consumo de animais que poderiam estar com a praga e pede que as pessoas reportem casos suspeitos às autoridades.

A peste bubônica, uma das doenças mais temidas no passado, causada por uma infecção bacterial, ainda é letal, mas hoje é tratada com antibióticos comuns.
O novo caso foi reportado no sábado. Ainda não está claro como o paciente poderia ter se infectado.

Fatal, mas tratável

Casos de peste bubônica ocorrem de tempos em tempos pelo mundo.

Em Madagascar, houve um surto com 300 casos em 2017.

Em maio do ano passado, duas pessoas na Mongólia morreram da peste, que foi contraída após a ingestão de carne crua de marmota.

Uma autoridade da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Ulan Bator, capital da Mongólia, disse à BBC que a carne crua de marmota e os rins do animal são usados como remédio popular no país.

A marmota é portadora da bactéria da praga e está associada aos casos da praga no país. A caça da marmota é ilegal.

A peste bubônica é caracterizada por inchaço dos gânglios linfáticos. É difícil de se identificar a doença com muita antecedência porque os sintomas — geralmente parecidos com a gripe — costumam aparecer entre três e sete dias depois da infecção.
Mas é improvável que a peste bubônica — que foi chamada de peste negra — leve a uma nova epidemia.

“Ao contrário do século 14, nós agora temos uma compreensão de como essa doença é transmitida”, disse Shanti Kappagoda, médico da clínica Stanford Health Care, ao site Healthline.

“Nós sabemos como prevenir. Também sabemos como tratar pacientes que são infectados com antibióticos eficientes.”

No século 14, a peste negra matou cerca de 50 milhões de pessoas na África, Ásia e Europa.

O último grande surto em Londres ocorreu em 1665, dizimando cerca de um quinto da população da cidade. No século 19 houve outro surto na China e na Índia que matou mais de 12 milhões de pessoas.

Imagens flagram jogadores do ABC em atividade no Frasqueirão; diretoria nega treino

Circulam imagens nesta segunda-feira (6) de jogadores do ABC realizando movimentações no gramado estádio Frasqueirão. A prática viola decreto do Governo do RN, que ainda não liberou a volta do futebol no estado.

Além das imagens que circulam nas redes sociais, alguns atletas também compartilharam em seus perfis imagens de atividades no clube. O atacante Jailson postou uma foto na banheira e outra numa partida de futevôlei.

À Tribuna do Norte, o diretor de futebol do clube, Gustavo Cartaxo, por meio da assessoria de comunicação do Alvinegro, disse que os atletas estão fazendo os testes, seguindo o protocolo. “Não são treinos. Só parte avaliativa”, declarou.

Na semana passada, o clube recebeu os resultados dos primeiros testes de Covid-19 feitos no elenco, comissão técnica e diretoria. Ao todo, dois membros da comissão técnica testaram positivo.

Além disso, os resultados mostraram que oito profissionais, sendo cinco jogadores e três membros da comissão técnica, já tiveram contato com o vírus e desenvolveram anticorpos.

Dos oito times que disputam o Campeonato Potiguar, apenas o América retomou os treinos oficialmente. No entanto, todo o elenco e comissão técnica se deslocaram para Recife para iniciarem a retomada das atividades.

Deputado cobra agilidade na entrega de kits alimentares para estudantes

O deputado Hermano Morais (PSB) encaminhou requerimento ao Governo do Estado e à Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas), cobrando regularização e celeridade no processo de distribuição das cestas básicas aos estudantes da rede pública estadual, durante o período de pandemia.

“Diante da suspensão das aulas causada pandemia relacionada à Covid-19, o Governo se comprometeu, desde março, a entregar kits de alimentos às famílias dos alunos de escolas públicas. Mas isso vem acontecendo ainda de forma vagarosa”, criticou Hermano.

Segundo Hermano, a medida é extremamente importante, já que os alunos estão impossibilitados de consumirem as refeições fornecidas pelas suas respectivas unidades de ensino.

“Acredito que, neste período crítico, essa ação irá realmente beneficiar os estudantes e seus familiares, minimizando prejuízos nutricionais. Por isso pedimos celeridade ao Governo e à secretaria nesse processo de distribuição, lembrando que quem tem fome, tem pressa”, finalizou.

Dina Verifica: Tomar ivermectina previne contra o coronavírus

INFORMAÇÃO INSUSTENTÁVEL, TENDENDO A FALSA: há evidências que indicam efeitos apenas sobre alguns indivíduos, que sofrem menos com os efeitos da covid-19; para o uso geral, a ivermectina não tem efeito comprovado

O vermífugo ivermectina não previne contra o coronavírus e seu uso está sendo administrado da forma chamada off label, ou seja, usado fora da bula e destinação para a qual se propõe.

O uso da medicação ganhou fama de milagroso após um estudo em abril publicado na Antiviral Research constatar que a ivermectina foi capaz de neutralizar a infecção do coronavírus em testes de laboratórios.

O medicamento é utilizado atualmente prescrito individualmente por médicos, sem respaldo científico que permita a prescrição generalizada. Nesse cenário, ela pode produzir resultados para algumas pessoas, mas mesmo assim não previne contra a covid-19. Uma vez infectado, quem tomou ivermectina poderá, no máximo, sofrer menos efeitos da doença.

Onde está o problema? Nas circunstâncias dos testes.

O teste em laboratório (in vitro) foi feito isolando células a as infectando com coronavírus. Depois, essas células receberam ivermectina em alta dosagem.

Essas doses foram capazes de remover todo o RNA viral das células em 48 horas, já que o medicamento é capaz de inibir uma proteína usada pelo novo coronavírus para se movimentar pelo núcleo celular e começar sua replicação.

Acontece que teste in vitro precisa ser replicado e obter os mesmos resultados em testes clínicos, ou seja em humanos, que não podem receber as elevadas doses que foram aplicadas individualmente às celulas.

Assim, um primeiro ponto é obter uma dosagem segura para humanos, coisa que ainda não existe. Há estudos clínicos em andamento.

Atualmente, a droga é administrada

OS FATOS

1) Os estudos já concluídos em humanos levaram a OMS a classificar a ivermectina como de baixo resultado, ou seja, não há dados suficientes para concluir que ela tem benefícios comprovados de maneira imperativa;

2) O Conselho Federal de Medicina já precisou se posicionar informando que não existem evidências robustas de alta qualidade que possibilitem a indicação de uma terapia farmacológica específica para a covid-19

Fontes

O que já se sabe sobre a ivermectina, a droga antiparasitária que está sendo testada para tratar a Covid-19

Estudo na Antiviral Research

Conselho Federal de Medicina alerta sobre uso de fármacos não comprovados para combater a covid-19

Anvisa libera testes de vacina chinesa contra o novo coronavírus

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta sexta-feira, 3, a realização de testes da vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac. O pedido de liberação, feito pelo Instituto Butantan, foi anunciado pelo governador de São Paulo, João Doria, no dia 11 de junho. Em nota, a Anvisa diz que os testes devem ser desenvolvidos em diferentes locais do Brasil.

A vacina CoronaVac, produzida a partir de cepas inativadas do novo coronavírus, está na terceira fase de testes, quando a vacina já pode ser administrada a um número maior de pessoas.

O estudo clínico envolverá 9 mil voluntários distribuídos nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná, além do Distrito Federal. Parte delas receberá a vacina e outro grupo deve receber um placebo, sem efeito. O objetivo é verificar se há o estímulo à produção de anticorpos para proteção contra o novo coronavírus.

A Anvisa afirma que os estudos da primeira e segunda fases, realizados em humanos saudáveis e em animais, mostraram segurança e capacidade de provocar resposta imune “favoráveis”.

Estadão

Com reabertura do comércio, frota de ônibus será reforçada em Natal

A partir desta segunda-feira (6) a frota de ônibus de Natal será reforçada para atender à demanda de passageiros após a reabertura do comércio na capital potiguar. Segundo a STTU, o sistema irá operar com 70% da frota.

De segunda-feira a sexta-feira, as viagens serão realizadas de acordo com a tabela de horário dos sábados. Já aos sábados, a frota circulará com a programação de domingos, ou seja, com 50% da frota de dias úteis.

Apesar do reforço na circulação de ônibus, os horários das viagens serão mantidos entre 5h e 20h. Para mais informações os usuários podem ligar para o Alô STTU – no telefone 156 – ou perguntar pelo Twitter oficial, o @156Natal.

Foto: Josenilson Rodrigues/Busão de Natal

Pacto pela vida: Prefeituras precisam cumprir regras do Plano de Retomada Gradual, reforça Sesap

Foto: Elisa Elsie
Texto: Assecom

Respeitar e cumprir efetivamente as regras do Plano de Retomada Gradual das Atividades Econômicas iniciado na quarta-feira, dia 1º de julho, é condição fundamental para que não haja retrocesso e que possam ser deflagradas as fases seguintes. A afirmação é do secretário Adjunto de Saúde Pública do RN, Petrônio Spinelli, feita na entrevista coletiva desta sexta-feira, 03, para apresentação dos dados e ações do Governo do RN no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

“Queremos avançar ou nos arriscar? Esta é a escolha que temos que fazer. Precisamos de unidade e apelamos publicamente às prefeituras de Natal e dos demais municípios, e à sociedade como um todo, para o respeito às regras para continuarmos evoluindo no combate à Covid-19, reduzindo o contágio e as mortes. Não podemos fazer como outros estados que flexibilizaram e depois tiveram que fechar, num efeito sanfona”, declarou Petrônio.

O secretário adjunto enfatizou que as ações do Governo são baseadas em critérios científicos e acrescentou: “Precisamos garantir que o processo gradual e seguro de retomada das atividades econômicas aconteça, na prática. Não podemos divergir com prefeituras e setores da sociedade. Precisamos fazer a retomada do jeito que prevê o decreto estadual, do jeito que é seguro. Não é hora de sair de casa, de queimar etapas, se precipitar com o funcionamento de atividades que não estão previstas no decreto porque isso pode colocar em risco toda a retomada”.

Spinelli disse que o Governo do RN prossegue acompanhando com rigor as taxas de transmissibilidade e de ocupação de leitos e insistiu “na responsabilidade das prefeituras, das empresas e da sociedade como um todo. O isolamento continua. Sair de casa, só se for para cumprir necessidades essenciais. O respeito às medidas protetivas vai garantir o processo de evolução da retomada”.

Os dados epidemiológicos nesta sexta-feira registram 712 pessoas internadas – 369 em leitos críticos. A fila de regulação tem 31 pacientes precisando de UTIs. A ocupação de leitos é de 100% na região Oeste e em Guamaré, 97,7% na região metropolitana de Natal, 88% em Pau dos Ferros e 72% no Seridó.

Hoje há 33.291 casos confirmados, 52.201 suspeitos, 44.599 casos descartados, 1.143 óbitos (sendo 7 nas últimas 24 horas), 171 óbitos em investigação. A maioria dos óbitos acontece a pessoas internadas e com respiradores.

Neste sábado (04), o Governo do Estado deve abrir 5 leitos UTI em Macaíba e mais 5, na próxima semana, quando o Hospital São Luiz em Mossoró deverá ter mais 5 UTIs.

CENTRAL CONTABILIZA R$ 3,6 MILHÕES EM DOAÇÕES

O Controlador Geral do Estado (Control), Pedro Lopes, fez hoje a prestação de contas da Central de Doações e Distribuição de produtos do Governo do RN referente ao período de 3 a 30 de junho. Foram recebidas doações em produtos no valor de R$ 400 mil. O acumulado desde a criação da Central, em 26 de maio, é de R$ 3,6 milhões.

As doações permitirão ações relevantes como a abertura de leitos de UTI no Hospital João Machado, em Natal. Uma dessas doações foi a realizada pela Associação dos Supermercados do RN (Assurn), de materiais e equipamentos hospitalares. Através de parceria com a Assurn, o Governo também recebe 6 toneladas de alimentos, material de higiene e limpeza doados pela população.

Outras doações relevantes foram do Sindicato da Indústria da Construção Civil do RN (Sinduscon), de 4 toneladas de tecidos para produção de 2 milhões de máscaras pelo programa RN Mais Protegido; da Guararapes Confecções – 2 mil aventais, 4 mil jalecos, 970 pró-pés e 1.800 toucas. A Indústria Becker, do mercado profissional de higiene e limpeza, doou 2 mil litros de sabonete líquido. Já a Norsa Coca-Cola doou energéticos e sucos.

A parceria do Governo do RN com a Assurn e Indústrias Becker proporcionou também a aquisição de 19 mil litros de álcool etílico 70% – líquido e em gel – a preço de custo. A Assurn comprou, e a Becker processou e envasou. O Governo ainda recebeu 500 cestas básicas da Assurn.

A UFRN, através do Núcleo de Pesquisa em Alimentos e Medicamentos (Nuplam) processou e envasou 13 mil litros de álcool adquiridos a preço de custo pelo Governo do Estado.

O Governo do RN ainda distribuiu 768 cestas básicas a famílias representadas por 17 instituições – 8 em Natal e 9 no interior.

Dentro do programa RN Mais Protegido o Governo do RN concluiu a entrega de 3 milhões de máscaras beneficiando 1,5 milhão de pessoas em todo o Estado. Os municípios da região metropolitana de Natal receberam 2 milhões de máscaras e os demais 1 milhão. O total de máscara a serem distribuídas será de 7 milhões. Hoje o Governo recebe 2 milhões de máscaras e inicia nova entrega aos municípios.

Outras 500 mil máscaras estão confeccionadas e mais 2 milhões de unidades serão produzidas com o tecido doado pelo Sinduscon.

MÁSCARAS GARANTIRAM EMPREGOS

O Secretário do Desenvolvimento Econômico do RN, Sílvio Torquato lembrou que a produção de 7 milhões de máscara foi iniciativa da governadora Fátima Bezerra logo no início da pandemia: “A Governadora queria assegurar o emprego das oficinas de costura no interior. O Governo articulou junto às indústrias de confecções e conseguiu doações de material e mão de obra da Guararapes, Nortex, Coteminas, Vicunha e do Sindicato da Indústria da Construção Civil”.

Sílvio Torquato registrou que com a produção de máscaras os empregos foram mantidos e desde a última segunda-feira passada o grupo Guararapes retomou a produção nas oficinas de costura garantindo trabalho a mais de 4 mil pessoas nas oficinas de costura em todo interior do RN.

Casos de Covid-19 cresceram 298% no RN apenas em junho; aumento de mortes foi de 230%

O número de casos confirmados de Covid-19 cresceu 298% no Rio Grande do Norte, apenas no mês de junho. Já a quantidade de óbitos pela doença teve um aumento de 230% no sexto mês do ano. Os dados são dos boletins epidemiológicos divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap-RN).

No dia 1º de junho, o estado tinha a confirmação de 8.008 casos de coronavírus. No dia 30 do mesmo mês, com os dados divulgados apenas no dia 1º de julho, o RN já tinha 31.899 casos confirmados. Ou seja, um aumento de 23.891 ocorrências.

Já o número de mortes era de 323. No balanço do último dia do sexto mês de 2020, o RN contabilizava 1.067 vidas perdidas por causa da doença.

Por outro lado, o número de pacientes recuperados cresceu apenas 59,2% no período, saindo de 1.824 para 2.904, segundo os boletins da Sesap.

No mesmo período, o estado viu a oferta de leitos de UTI acabar e a demanda de pacientes aumentar, com dezenas de pessoas morrendo sem conseguir uma internação na rede pública de saúde.

Nessa quinta-feira (2), o boletim indicou que o Rio Grande do Norte chegou a 32.897 casos confirmados e 1.103 óbitos. O número de recuperados segue em 2.904. Nesta sexta-feira (3), um novo balanço deve ser divulgado pelo governo do estado.

RN enfrenta dificuldades para manter estoque de medicamentos para UTI

A Unidade Central de Agentes Terapêuticos (Unicat) tem dificuldades para manter o estoque de medicamentos para pacientes internados nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) nos hospitais públicos do Rio Grande do Norte.

Em épocas normais, o estoque mínimo é suficiente para um mês. No entanto, com a pandemia de coronavírus e o crescimento nas internações, os fármacos duram menos tempo.

Segundo matéria publicada pela Tribuna do Norte, nessa quinta-feira (2), os hospitais possuíam estoque suficiente para apenas sete dias. No entanto, um novo lote de medicamentos deve chegar hoje, com capacidade para abastecer por mais 20 dias.

A principal dificuldade é para medicamentos anestésicos (sedativos), bloqueadores neuromuscular e antibióticos. Esses medicamentos são utilizados nos pacientes de Covid-19 que precisam ficar intubados.

Além deles, o RN ainda necessita de antibióticos e de medicamentos que evitam a coagulação. Ambos são utilizados no tratamento de casos mais graves do doença.

Foto: Anderson Régis/ Tribuna do Norte

Operação apreende 47 motocicletas no interior do RN

Uma operação das polícias Civil e Rodoviária Federal resultou na apreensão de 47 motocicletas em Macau, nessa quarta-feira (1º). A ação visou o combate ao trânsito de veículos irregulares.

Segundo a Polícia Civil, as motocicletas apreendidas estavam sem placas, conduzidas por adolescentes, além de apresentarem sinais de adulterações nas características, como canos estourados.

Ainda durante a operação, um homem foi preso pela prática de porte ilegal de arma, mas pagou fiança e foi liberado. Ele também foi autuado pela suspeita de prática de crime ambiental.

Inscritos no Enem querem prova em maio de 2021; MEC ainda não definiu

O Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgaram, hoje (1º), o resultado da enquete para a escolha do novo período de aplicação das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Para 49,7% dos estudantes, o Enem impresso deve ser aplicado em 2 e 9 de maio de 2021 e o Enem digital em 16 e 23 de maio.

As outras opções de data eram o Enem impresso em 6 e 13 de dezembro deste ano e Enem digital em 10 e 17 de janeiro de 2021, com 15% dos votos; e Enem impresso em 10 e 17 de janeiro de 2021 e Enem digital em 24 e 31 de janeiro, com 35,3% dos votos dos estudantes.

As provas, que aconteceriam em novembro deste ano, foram adiadas em função das medidas de enfrentamento à pandemia da covid-19.

A pesquisa com os estudantes foi aberta no dia 20 de junho na Página do Participante e 1,113 milhão de estudantes, que representam 19,3% dos inscritos no exame, responderam de forma voluntária. O Enem 2020 tem pouco mais de 5,7 milhões de inscritos.

Data

De acordo com o presidente do Inep, Alexandre Lopes, a data escolhida pelos estudantes ainda não é a oficial, mas será levada em conta para a definição. “Mais de 80% pediram para fazer a prova no ano que vem. É uma opinião importante, mas não é a única fonte de decisão”, disse, ressaltando que poderá ser, inclusive, uma data diferente daquelas que foram colocadas na enquete.

Lopes explicou que o MEC e o Inep irão, agora, consultar o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), que estão tratando do cronograma das aulas no ensino médio, e as associações que representam as instituições de ensino superior, para saber quando pretendem começar o primeiro semestre ano que vem. “A data sairá desse processo de construção coletiva”, disse.

A expectativa é que a definição do período de aplicação da prova seja anunciado daqui duas ou três semanas. Segundo Lopes, independentemente da data, o governo está se preparando para garantir a segurança sanitária dos participantes e das pessoas que trabalham na aplicação do Enem, com a disponibilização de álcool em gel e máscaras, além de diminuir a quantidade de estudantes nas salas.

Para o secretário-executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel, caso o Enem 2020 seja realizado em maio do ano que vem, isso prejudicaria o primeiro semestre letivo das universidades. “É uma variável que será levada em consideração no debate com as instituições”, explicou.

Sisu e Enade

Paulo Vogel disse que o portal do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) já está aberto para a consulta de vagas para ingresso no segundo semestre deste ano, nas universidades e institutos federais de ensino. As inscrições vão de 7 a 10 de julho.

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, também anunciou que a prova do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) de 2020, que aconteceria em novembro, será adiada para 2021 em razão da pandemia da covid-19 e dos problemas para a conclusão do cronograma do segundo semestre letivo. A nova data ainda será definida. O Enade avalia o desempenho dos estudantes e dos cursos de ensino superior.

Deputado federal do RN é internado com suspeita de Covid-19

O deputado federal João Maia está internado em um hospital de Natal com suspeita de ter contraído a Covid-19. O parlamentar tem quadro estável e aguardo resultado de exame, que deve sair na noite desta quinta-feira (2).

De acordo com a assessoria de imprensa, João Maia está seguindo as recomendações médicas.

Prazo para pedir auxílio emergencial termina hoje

O prazo para a população se inscrever para receber o Auxílio Emergencial termina nesta terça-feira (2). Após a data, a página será utilizada apenas para acompanhar o processamento do pedido ou o pagamento do benefício.

“A partir desse dia, o cadastramento estará fechado e todas as pessoas que estão em análise pela Dataprev terão uma resposta. Todas as pessoas que se cadastrarem e forem validadas receberão todas as parcelas. Mesmo que sejam aprovadas lá pro meio de julho, receberão as três parcelas”, disse Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal.

Como se cadastrar

  • Clique AQUI para fazer pelo site
  • Clique AQUI para baixar o aplicativo para celulares Android
  • Clique AQUI para baixar o aplicativo para iOS

Quem tem direito?

Será concedido auxílio emergencial de R$ 600 ao trabalhador que cumpra todos estes requisitos:

  • ser maior de 18 anos de idade com CPF regularizado;
  • não ter emprego formal;
  • não ser titular de benefício previdenciário ou assistencial, beneficiário do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, à exceção do Bolsa Família;
  • ter renda familiar mensal por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135);
  • que, no ano de 2018, não tiver recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018.