Terror rompe 2019 em Manchester, onde atentado deixou três esfaqueados

Três pessoas foram esfaqueadas, durante a passagem de ano, numa estação de metro em Manchester, avança a AFP. De acordo com a agência de notícias, o suspeito terá gritado “Allah” antes e durante o ataque.

Os feridos são um homem, uma mulher e um agente da polícia britânica que se encontravam na estação de Manchester Victoria.

“Os agentes atenderam a uma ocorrência na estação de Manchester Victoria depois de relatos de ataque com uma faca”, pode ler-se no comunicado da Polícia de Transporte Britânica (BTP), que acrescenta que o alerta foi dado às 20:52.

Pela manhã, a polícia anunciou que trata o caso como uma investigação de terrorismo.

A perícia antecipou que Fernando Holiday sofreu um atentado e precisamos falar muito sério sobre isso

A perícia encarregada de identificar o caso reportado pelo vereador Fernando Holiday antecipou ainda nessa quarta-feira (26) que o buraco na vidraça onde estava Holiday foi provocado por arma de fogo.

O delegado Júlio Cesar dos Santos Geraldo, que registrou a ocorrência relatada pelo parlamentar, já trabalha com a tese. Ele classificou o caso como “disparo de arma de fogo” e “perigo para vida”.

Holiday é uma das vozes mais influentes atualmente na direita brasileira. Ele relatou na Câmara de Vereadores de SP a reforma da previdência da cidade.

A nova proposta cria um sistema complementar para novos funcionários que ganham acima do teto do INSS (R$ 5,6 mil). A proposta aumenta a alíquota de contribuição de 11% para 14%.

O caso convida a sociedade brasileira, mais uma vez, para refletir sobre os limites que devem estar bem delimitados sobre respeitar as convicções ideológicas alheias.

Ressalvadas as proporções, foram eventos desse tipo que tirou a vida de Anderson e Marielle há nove meses. Ela foi morta, segundo a linha de investigação da polícia, por de defender interesses no parlamento carioca que contrariavam as milícias.

 

Atirador abre fogo durante missa em Campinas, mata quatro e se suicida

Do R7

Um atirador abriu fogo em uma catedral em Campinas, a 100 km de São Paulo, e deixou cinco pessoas mortas e quatro feridos, nesta terça-feira (11). Os disparos ocorreram, segundo o 8º Batalhão da Polícia Militar, dentro da Catedral Metropolitana, na região central do município.
De acordo com a Central de Operações da Polícia Militar (COPOM), são nove feridos, dos quais cinco não resistiram e morreram, entre eles, o autor dos disparos.

Entre os mortos, estão quatro homens e uma mulher. O autor teria usado uma pistola automática e um revólver durante a ação.

Segundo informações de testemunhas, o atirador estava sentado dentro da catedral em silêncio quando, de repente, levantou e atirou contra os fiéis.