Governo Bolsonaro muda decreto de armas e diz que cidadão comum não poderá comprar fuzil

Depois de contestações na Justiça e no Congresso, o presidente Jair Bolsonaro publicou nesta quarta-feira, 22, várias retificações no chamado Decreto de Armas, editado no início deste mês para facilitar o porte de armas no País, informa o Estadão

As correções constam de dois novos decretos.

Segundo o governo, o novo texto inclui “vedação expressa” à concessão de armas de fogo portáteis, como fuzis e carabinas, ao cidadão comum.

Em nota, o Palácio do Planalto disse que um dos atos foi editado “com o objetivo de sanar erros meramente formais identificados na publicação original, como numeração duplicada de dispositivos, erros de pontuação, entre outros”.

Bolsonaro compartilha ‘texto apavorante’ e fala em Brasil ingovernável fora de conchavos

No Estadão

O presidente Jair Bolsonaro distribuiu, na manhã desta sexta-feira, 17, em diversos grupos de WhatsApp um texto de “autor desconhecido” que trata das dificuldades que ele estaria enfrentando para governar.

O texto diz que o presidente está sofrendo pressões de todas as corporações, em todos os Poderes e afirma que o País “está disfuncional”, não por culpa de Bolsonaro, mas que “até agora (o presidente) não fez nada de fato, não aprovou nada, só tentou e fracassou”.

Procurado pelo Estado para comentar sobre a mensagem, o presidente respondeu por meio do porta-voz: “Venho colocando todo meu esforço para governar o Brasil. Infelizmente os desafios são inúmeros e a mudança na forma de governar não agrada àqueles grupos que no passado se beneficiavam das relações pouco republicanas. Quero contar com a sociedade para juntos revertermos essa situação e colocarmos o País de volta ao trilho do futuro promissor. Que Deus nos ajude!”

Ao compartilhar o texto, o presidente escreveu: “Um texto no mínimo interessante. Para quem se preocupa em se antecipar aos fatos sua leitura é obrigatória. Em Juiz de Fora (06/set/2018), tive um sentimento e avisei meus seguranças: Essa é a última vez que me exporei junto ao povo. O Sistema vai me matar. Com o texto abaixo cada um de vocês pode tirar suas próprias conclusões.”

TEXTO APAVORANTE – LEITURA OBRIGATÓRIA

Alexandre Szn

Temos muito para agradecer a Bolsonaro.

Bastaram 5 meses de um governo atípico, “sem jeito” com o congresso e de comunicação amadora para nos mostrar que o Brasil nunca foi, e talvez nunca será, governado de acordo com o interesse dos eleitores. Sejam eles de esquerda ou de direita.

MBL critica Bolsonaro e diz que protestos de hoje são os maiores desde o impeachment

Há algo no ar além dos protestos que sacodem o Brasil nesta quarta-feira.

O perfil oficial no Twitter do Movimento Brasil Livre (MBL), que fiou os levantes contra Dilma, impulsionou o impeachment e elegeu políticos na última eleição alinhados com a pauta bolsonarista, foi ao Twitter mudando o tom.

Em um dos tuítes, o perfil registrou: “Pra completar, o presidente chama todos de “idiotas”. Vi nas redes sociais “idiotas” que eram anti-petistas. Jogar essa turma no colo da esquerda é um presente que Bolsonaro dá hoje”.

A guinada, por óbvio, merece registro.

‘Sem educação já basta o presidente’, ‘Conhecimento destrói mitos’: as melhores frases no levante por educação que mobiliza o Brasil

 

Estudantes, professores e militantes da educação ocupam nesta quarta-feira ruas de todo o Brasil contra os cortes que o governo Jair Bolsonaro anunciou na educação.

O presidente acabou sendo um dos principais alvos dos protestos. Mais cedo, de Dalas (EUA), para onde viajou para receber homenagem, ele afirmou que os estudantes são “idiotas úteis”.

Reunimos as melhores frases que se espalham pelo Brasil:

Estadão abandona moderação e critica duramente Bolsonaro

O jornal O Estado de S.Paulo publica o segundo editorial, em pouco mais de uma semana, cobrando postura do presidente Jair Bolsonaro.

Hoje, sob o título Procura-se um presidente, a publicação dos Mesquitas critica o comportamento de deputado do baixo clero.

“Sem entender qual é natureza da função para a qual foi escolhido pela maioria dos eleitores no ano passado, o sr. Bolsonaro drena as energias do País ao concentrar-se em temas de pouca relevância”.

Na campanha de 2018, o Estadão fez campanha para Bolsonaro.

É dado a todos o direito de se arrepender.

Bolsonaro lança sua própria tv em reação à política de restrição do Facebook

O anúncio foi feito pelo senador Flávio Bolsonaro.

A família agora terá um canal onde todos poderão ter acesso ao que eles querem falar.

Os Bolsonaro reclamam que seu alcance no Facebook caiu e culpa a rede social por isso.

O Facebook vem trabalhando para remover páginas que promovem ódio e fake news.

Quem tiver interesse em ter acesso à TV Bolsonaro, siga as instruções que Flávio dá nesse vídeo

Quem protagoniza o vídeo compartilhado por Bolsonaro

Danilo Thomaz conta na Época quem é a criatura que protagoniza a cena divulgado em vídeo pelo presidente Jair Bolsonaro.

Trata-se de Paulx Castello e/ou Sofia Lacre. 

Isso mesmo. Não se identifica com gênero definido, mas se acolhe sob a identidade feminina. Prefere ser chamada de Sofia. Sua intervenção foi uma performance.

“Artista formada pela Universidad Nacional de las Artes (UNA), na Argentina, foi uma das realizadoras do Kuceta (póspornografias): festival de cultura e política sexodissidente realizado em junho do ano passado em São Paulo que, conforme descrição, pretende “exibir algo do que tem sido produzido em relação a sexualidades não normativas”, ou seja, as sexualidades que estejam fora dos padrões usuais de gênero e orientação sexual”, conta Danilo na Época.

Ainda segundo a revista, a apresentação não se resumiu à chuva dourada. Sofia sacudiu, ainda, os cabelos molhados de urina, atingindo os passantes. Ela e o rapaz que a acompanhava no palco improvisado também se penetraram com os dedos. Antes, de acordo com relatos, ela havia defecado na rua.

Após a repercussão, Sofia fechou suas contas nas redes sociais.

Bolsonaro usa trilha de Sonic em vídeo para promover seu governo e perfil oficial do jogo ironiza

O presidente Jair Bolsonaro Tweetou nesta segunda-feira um vídeo no qual defende o investimento em infraestrutura. Mas o que chamou a atenção de muita gente na timeline foi a trilha sonora: uma música do game ‘Sonic the Hedgehog’, de 2006. O perfil oficial respondeu ironizando: “Lugares em que não esperávamos ouvir a trilha sonora do Sonic 2006”

Comprador confirma versão de Flávio Bolsonaro sobre depósitos de R$ 96 mil

 

O ex-atleta Fábio Guerra confirmou nesta segunda-feira (21) que pagou cerca de R$ 100 mil em dinheiro vivo ao senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) para quitar parte da compra de um imóvel na zona sul do Rio de Janeiro.

Os valores foram repassados, segundo Guerra, entre junho e julho de 2017, período em que o Coaf (Conselho de Controle das Atividades Financeiras) apontou depósitos suspeitos que somam R$ 96 mil na conta do senador eleito, filho do presidente Jair Bolsonaro.

“Paguei em dinheiro porque havia recebido em dinheiro pela venda de outro apartamento. Como recebi aos poucos, fui pagando aos poucos”, disse Guerra, ex-jogador de vôlei de praia, que afirmou não ter mais contato com o senador eleito.

A declaração corrobora a versão dada pelo senador eleito em entrevistas às TVs Record e Rede TV!. Ele disse que recebeu o pagamento em dinheiro e depositou o valor por conta própria.

Fonte: Folha

Funcionária que disparou WhatsApp para Bolsonaro ganha cargo no Planalto

O governo Bolsonaro contratou a funcionária da agência de comunicação que contratou disparos em massa de mensagens de WhatsApp durante a campanha.

Taíse de Almeida foi nomeada na segunda-feira.

Ela ocupará um cargo comissionado na Secretaria-Geral da Presidência, e deve despachar a poucos metros do presidente.

Com salário de cerca de R$ 10,3 mil, será assessora do gabinete do secretário-geral da Presidência, Gustavo Bebianno, um dos principais articuladores da campanha.

Taíse trabalhou para agência de comunicação AM4 Inteligência Digital, empresa contratada pelo PSL para a campanha de Jair Bolsonaro à Presidência.

Segundo a agência, Taíse era a funcionária responsável pela contratação das mensagens enviadas por meio do WhatsApp.

Em nota, o órgão comandado por Bebianno respondeu que a nomeação de Taíse se deu por “critérios técnicos, após avaliação curricular e entrevista”.

Taíse não foi localizada.

As informações são da Folha de S.Paulo.