Por que os homícidios no RN caíram? A explicação é nacional e dada por quem entende do assunto

Na Folha desta quarta-feira, Ilona Szabó explica a queda no número de homicídios que foi registrada recentemente.

Entre 2017 e 2018 o número de assassinatos no Brasil caiu 13%.

As maiores quedas de 2018, entre 21% a 24%, ocorreram em Alagoas, Acre, Espírito Santo, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Nota do redator antes de prosseguir: Ilona é do Instituto Igarapé, que publica o Mapa da Violência e esteve no foco de polêmica após Moro convidá-la para o Ministério da Justiça. A ala ideológica de Bolsonaro esperneou e ela foi desconvidada.

Cinco razões

De acordo com ela, as razões são cinco

1) Após o violento ano de 2017 de briga entre facções, o PCC estabeleceu seu domínio em algumas regiões;

2) A mobilização de militares e de novos policiais também ajudou a conter o crime violento em algumas partes do país;

3) Governos estaduais trabalharam para melhorar a coordenação entre a Polícia Civil e a Militar, Ministério Público e autoridades penais e promoveram programas direcionados de prevenção da violência.

4) A administração do presidente Michel Temer (MDB) criou o Ministério da Segurança Pública, aprovou o Sistema Único de Segurança Pública e construiu um plano nacional de segurança pública. Essas medidas estruturantes foram complementadas com infusões de dinheiro e envio de militares para retomar o controle sobre várias prisões estaduais;

5) O envelhecimento da população brasileira é um fator estrutural que pode contribuir para a queda da violência. Deixamos de ser um país jovem e agora somos um país adulto.

Cem primeiros dias do ano têm 203 homicídios a menos no RN

Os dados estatísticos divulgados pela Secretaria do Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), nesta quinta-feira (11), apontam uma redução no número de homicídios nos primeiros 100 dias de 2019, em relação ao mesmo período em 2018.
 
Com base em números fornecidos pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análise Criminal (Coine), foram registradas 420 Condutas Violentas Letais Intencionais (CVLIs), nos primeiros 100 dias deste ano, o que representa 203 vidas humanas poupadas em relação ao mesmo período no ano anterior, quando foram registrados 623, o que resultou uma diminuição em 33%.
 
De acordo com o Secretário da Sesed, Coronel Francisco Araújo, a diminuição dos números é reflexo do trabalho em conjunto entre as forças de Segurança. “A redução das CVLIs deve-se ao maior controle no sistema prisional, ao planejamento de ações policiais de forma integrada, a abnegação dos agentes de segurança pública e o incontestável apoio do Governo do Estado”, afirmou.
 

Se 2018 terminar como está, Robinson quase terá sido o governador da segurança, de acordo com estes números

 

A nove dias de terminar o ano, o governador Robinson Faria, que foi eleito em 2014 sob o slogan de “o governador da segurança”, viu a frase ser usada ao avesso, como ironia, em toda sua gestão.

Mas quando o ano terminar, salvo se ocorrer uma hecatombe, 2018 será o terceiro consecutivo na queda do número de homicídios, regressando a patamares do início de sua gestão.

Até ontem, 1.887 pessoas haviam sido assassinadas no Rio Grande do Norte – dados do Sindicato da Polícia Civil.

Em 2017, foram 2.405 pessoas. Em 2016, foram 1.995. No ano anterior, foram 1.670. Em 2014, quando Rosalba terminou seu mandato, foram 1.772.

Evidentemente que o que mais conta em segurança pública é a percepção dela.

Esses números precisarão continuar em queda para que se reflita na confiança do cidadão em sair seguro às ruas.