Os oito deputados federais do RN custaram mais de R$ 11 milhões em 2019

Em 2019, os oito deputados federais do RN custaram R$ 11.173.055,43‬, sem incluir seus salários.

Os valores foram levantados pelo Blog do Dina na base de dados da Câmara dos Deputados.

A cifra corresponde a:

R$ R$ 8.340.423,75 de verba de gabinete para pagar os salários de assessores. Cada deputado por contratar até 25 deles.

R$ 2.755.779,88 de cota parlamentar, dinheiro com o qual pagam passagens, combustíveis e ações para divulgar o mandato, por exemplo. Nessa categoria, o campeão de gastos foi João Maia (R$ 446.882,24).

R$ 66.637,71 em viagens oficiais.

R$ 10.214,09 em auxílio-moradia.

Lua de mel com a Fiern

A Governadora Fátima Bezerra, na hora de sancionar a nova lei do Proedi, ontem à tarde, elogiou publicamente o conteúdo da nota e a agilidade da FIERN em se posicionar a respeito da votação da Assembleia.

Ela pediu até pra nota ser lida no ato da assinatura.

Helder Maranhão, da Fiern, leu a nota a pedido da Governadora.

Governadora Fátima Bezerra sanciona lei do Proedi e encerra impasse

A governadora Fátima Bezerra sancionou na tarde desta quinta-feira (26) duas leis relacionadas à modernização da política de incentivo à indústria potiguar. A primeira delas diz respeito à instituição do Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial do Rio Grande do Norte (Proedi).

A segunda lei sancionada altera o marco legal do Fundo de Desenvolvimento Comercial e Industrial do RN (FDCI), como forma de realizar compensações financeiras para os municípios.

As duas leis são frutos da convocação extraordinária da Assembleia Legislativa do RN (AL-RN), iniciada e finalizada também nesta quinta com a aprovação unânime dos projetos apresentados pelo Governo do Estado.

Governo, Fiern e prefeitos costuram substitutivo na ALRN para salvar Proedi

Nem Governo, nem prefeitos.

Na Assembleia Legislativa se costura uma proposta de consenso.

O governo queria compensar 50% das perdas das prefeituras neste ano e 75% em 2020.

Já os prefeitos queriam 75% neste e nos próximos dois anos.

Sairá uma proposta intermediária, com colaboração da Fiern, conforme adiantou ao blog o deputado Coronel Azevedo.

ALRN define que votará matéria do Proedi em um, e não dois dias

Deputados definiram há pouco que votarão as deliberações sobre o Proedi em apenas um dia, no caso nesta quinta-feira.

Originalmente, a convocação do governo pedia dois dias: um para aprovar a convocação extraordinária e outro para votar as matérias.

Com a aprovação da convocação, os deputados vão apreciar o mérito das matérias.

Haverá conflitos, por óbvio, já que os prefeitos decidiram rejeitar a proposta do governo.

A conferir quem leva a melhor no plenário, governo ou prefeitos.

Presidente da Câmara Municipal de Natal, Paulinho Freire anuncia economia e devolução de R$ 5,5 milhões aos cofres municipais

O presidente da Câmara Municipal de Natal, Paulinho Freire, anunciou há pouco em entrevista ao Jornal das 6 uma economia de R$ 5,5 milhões, valor que será devolvido aos cofres do município.

A Câmara tem um orçamento de quase R$ 70 milhões anuais.

Ele explicou que os valores foram alcançados com cortes de cargos comissionados, horas extra, passagens áreas – que não teve nenhuma – e outras readequações, buffet para solenidades entre outras medidas.

 

Proedi: Governo apresentará à AL proposta de compensação financeira discutida com Femurn e Fiern

A governadora Fátima Bezerra convocou a Assembleia Legislativa em caráter extraordinário, nos dias 26 e 27.

As razões são duas: o Projeto de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial do RN (Proedi) e a segunda, que trata sobre a alteração da lei promulgada em 2006 sobre o Fundo de Desenvolvimento Comercial e Industrial (FDCI).

Na prática, é o Proedi que impacta e tem relevância.

O governo vai apresentar uma proposta de compensação financeira aos municípios afetados pelo Proedi, que virou caso judicializado.

A proposta será de compensação financeira na ordem de 50% sobre perdas deste ano e de 75% para as perdas de 2020.

O acordo foi costurado com a Fiern e Femurn, as federações das Indústrias e dos Municípios, respectivamente.

Com isso, se espera o fim das disputas judiciais.

Juiz mantém prisão e manda ex-governador da Paraíba para cela coletiva

O juiz Adilson Fabrício decidiu manter a prisão preventiva do ex-governador Ricardo Coutinho, que passou por audiência de custódia na manhã desta sexta-feira (20).

Além disso, o juiz determinou que Ricardo Coutinho seja encaminhado para a ala especial, em cela coletiva na Penitenciária de Segurança Média de Mangabeira.

A audiência aconteceu na Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba e o magistrado negou pedido da defesa para que a prisão preventiva fosse revogada ou substituída por medidas cautelares.

ClickPB

Queiroz recebeu R$ 2 milhões em 483 depósitos feitos por assessores de Flávio, diz MP

Na Crusoé

Dados das quebras de sigilo bancário obtidos pelo Ministério Público do Rio de Janeiro mostram que Fabrício Queiroz (foto) recebeu 2 milhões de reais de outros 13 assessores do gabinete do senador Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa fluminense.

Segundo informações juntadas pelos promotores no pedido de busca e apreensão feito à Justiça, foram 483 depósitos feitos na conta bancária de Queiroz provenientes de outros assessores subordinados ao ex-deputado e filho do presidente Jair Bolsonaro. O período analisado foi de 2007 a 2018.

Pelos dados repassados pelo banco, foram 339 depósitos em dinheiro, 127 transferências bancárias e 17 depósitos de cheques, além de outros 900 mil reais repassados a Queiroz cuja procedência não foi identificada.

Os maiores valores foram repassados pela filha de Queiroz, Nathália Melo de Queiroz, com 633,4 mil reais, e pela mulher dele, Márcia Oliveira de Aguiar, com 445,5 mil reais. No mesmo período analisado, Queiroz sacou 2,96 milhões de reais em espécie de sua conta bancária, segundo o MP.

Os federais do RN que foram contra e a favor de reduzir dinheiro público para bancar campanhas eleitorais

O Congresso rejeitou ontem à noite o destaque do Novo ao projeto de lei orçamentária de 2020 e manteve o valor de R$ 2 bilhões para o Fundo Eleitoral.

O destaque pretendia reduzir o fundo para R$ 1,3 bilhão. O dinheiro vai bancar as campanhas municipais do ano que vem.

Na votação na Câmara, foram 242 votos para manter o texto como estava, e 167 a favor do destaque do Novo. Com a rejeição, o destaque não foi votado pelos senadores.

Cinco deputados do RN votaram. A favor de manter os dois bilhões, e contra o destaque, foram Fábio Faria, Natália Benavides e Benes Leocádio. Já Rafael Motta e General Girão votaram para reduzir o valor para 1,3 bilhão.

Por lei, recursos de campanha devem ser públicos, o que é um absurdo.

Presidente da Femurn diz que decisão de desembargador sobre Proedi foi política: ‘Ignorou arcabouço jurídico’

O presidente da Federação dos Municípios do RN, Naldinho, prefeito de São Paulo do Potengi, entrou ao vivo no Jornal das 6 para comentar a luta dos municípios contra o Estado na questão do Proedi.

O ‘abre-alas’ de sua fala foi um petardo ao desembargador Cláudio Santos, da lavra de quem saiu decisão negando a municípios o mesmo benefício que o desembargador Vivaldo Pinheiro concedeu a Natal contra o Estado.

“Ele tomou uma decisão política e ignorou o arcabouço jurídico”, cravou Naldinho.

Santos foi procurado para comentar. Até a publicação desta matéria não havia se manifestado.

Membros da família Pahim, em Natal, são apontados como integrantes do núcleo financeiro operacional de esquema investigado contra Ricardo Coutinho

 

Os desdobramentos da Operação Calvário na capital do Rio Grande do Norte envolvem o que é descrito na decisão do desembargador Ricardo Vital de Almeida, do TJPB, como ‘integrantes do núcleo financeiro operacional da organização criminosa investigada’.

A ação investiga organização criminosa suspeita de desvio de R$134,2 milhões de serviços de saúde e educação.

Os envolvidos na capital potiguar foram os irmãos Breno Dornelles Pahim Filho e Denise Krummenauer Pahim, mãe de Breno Dornelles Pahim Neto, também atingido pela operação.

Contra Denise foi expedido mandado de prisão preventiva. Já tio e sobrinho foram alvos de busca e apreensão.

A investigação apontou que os três agiam como interpostos para os negócios ilícitos da família Coutinho, do ex-governador Ricardo Coutinho.

O elo entre a família e os Coutinho era o casamento de Breno Dornelles Pahim Filho com Raquel Vieira Coutinho, irmã de Ricardo Coutinho, e atualmente diretora geral do Banco Daycoval.

Alvos da PF, governador e ex-governador da Paraíba romperam por causa da investigação

Ricardo Coutinho e João Azevedo, ex-governador e governador da Paraíba, respectivamente, romperam de vez, publicamente, em carta do primeiro no início de dezembro.

Mas o distanciamento tem origem na Operação Calvário, apesar de, publicamente, os motivos expostos serem divergências ideológicas.

Para entender, João Azevedo foi uma espécie de super-secretário nas gestões de Ricardo Coutinho, que esperava que o sucessor fosse mais fiel e seguisse suas orientações no tocante ao que fazer sobre as investigações.

Pivô de prisões na Paraíba delata e entrega também campanha de Witzel no Rio de Janeiro

O ex-governador da Paraíba Ricardo Coutinho (PSB) é alvo de mandado de prisão preventiva na sétima fase da Operação Calvário, da Polícia Federal, que foi deflagrada nesta terça na Paraíba.

São cumpridos 54 mandados de busca e apreensão e 17 mandados de prisão preventiva, nos estados da Paraíba, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Goiás e Paraná.

Além de Ricardo Coutinho, deputados, prefeitos e secretários são alvos da Operação Calvário – Juízo Final.
A ação na Paraíba também promete provocar barulho no Rio.

Um dos colaboradores desta fase da operação é o empresário Daniel Gomes da Silva, que liderava o esquema desmontado pelos investigadores.

O mesmo Daniel, preso no fim de 2018, negociou em sigilo uma delação com a PGR e teve seu acordo homologado pelo STJ.

Daniel arrasta a campanha de Wilson Witzel para o centro dos seus negócios. Diz que, em meados do ano passado, repassou uma bolada via caixa dois — o valor é mantido em sigilo — para emissários do governador. Ele teria dado o dinheiro para se aproximar do grupo político de Witzel que assumiria o poder no Rio.

Época

Ex-secretário paraibano de Robinson deita e rola com mega operação da PF na Paraíba

O ex-secretário de Justiça e Cidadania do governo Robinson, Wallber Virgolino, vai animado com suas declarações nesta terça-feira em que Ricardo Coutinho (PSB), o ex-governador da Paraíba, foi mandado ao xilindró na sétima fase da Operação Calvário.

Coutinho está fora do país e teve o nome incluído na lista da Interpol. Além dele, o atual governador, João Azevedo, foi busca de alvo e apreensão.

“Agora a Justiça dos homens está sendo feita, aconteceu o que todo mundo esperava. O Gaeco e a Polícia Federal devassam de vez a quadrilha formada dentro do núcleo do socialismo paraibano, do grupo paraibano. Esperamos que João Azevêdo faça uma reforma não só da Previdência mas de consciência”, comentou Wallber à imprensa do estado vizinho.

“Estou envergonhado enquanto político porque a Paraíba está mais uma vez nas páginas policiais nacionalmente por causa desses atos de corrupção e isso é ruim para a política e democracia. Espero a delação de Ricardo Coutinho e quero que ele seja preso e diga o que ele realmente sabe porque se ele abrir a boca, a Paraíba será outra”, pontuou.